Especial     10 de outubro de 2017 12:00
Autor: Marivânia Farias
Sombrio

Adolescente escreve contra a dor


Linda, inteligente e bem educada, a menina de 13 anos que fala de seus problemas na presença da mãe, não é uma adolescente qualquer. Ela já tentou o suicídio quatro vezes e no final de setembro, esteve dez dias internada no hospital São Sebastião de Turvo, em tratamento contra a depressão. Agora está novamente em casa, no bairro São Luís de Sombrio, e na semana passada voltou a frequentar a escola.

O motivo de tanto desespero é o abuso sexual sofrido entre os sete e oito anos, vítima de um homem da família. Não foi a única, duas amiguinhas passaram o mesmo drama que ela, nas mãos do mesmo bandido. A mãe somente foi saber o que a filha estava vivendo quando ela começou a se cortar. As marcas nos braços e pernas da criança que deveria se ocupar apenas de brincar e estudar, foram descobertas primeiro por uma professora, que alertou a família. A menina contou o que tinha acontecido e a partir dali ganhou a mãe como aliada contra os medos e traumas que enfrentava. A jornada delas é longa, tem altos e baixos, e ainda não terminou. “Quando eu soube da violência sexual, ela tinha 11 anos, e depois disso ela tentou se matar cortando os braços, tomando medicação, mas agora passou né filha”, diz a mulher esperançosa.

Com o acompanhamento psicológico que recebe, a garota aprendeu técnicas de controle da respiração que a ajudam a controlar também o corpo e a mente. E descobriu mais uma forma de vencer a tristeza e a dor: a escrita. Ela tem escrito sobre automutilação e suicídio e publicado os textos em uma conta na rede social Instagram. A medida que escreve, ela aprende a lidar melhor com os próprios sentimentos, e espera poder ajudar outras pessoas. “Eu me sentia culpada pelo que tinha acontecido, por isso me cortava. A dor física ajudava a diminuir a dor emocional”, diz com maturidade. “Eu não queria mais viver, agora, porém, comecei a pensar diferente, quero seguir em frente ”, afirma.

Os artigos publicados por ela, com impressionante clareza de pensamento, são assinados como ‘uma pessoa top’ e falam de sofrimento, e principalmente de superação.

O Correio do Sul publica dois textos da menina corajosa que só quer ser feliz.   

 

Muitas pessoas se cortam, por medo, medo da vida, das dores que ela pode causar, por causas desse medo elas se auto-mutilam, ou por causa da depressão, e quando se auto-mutilam elas esconde os cortes, por medo, medo de serem julgadas pela sociedade. E quando elas se auto-mutilam elas acham que isso pode parar com a dor psicológica, que por um instante aquela dor some, mas ela só some por um tempo e depois volta, e quando volta você se auto-mutila novamente, e isso se torna um ciclo vicioso, você pensa que essa é a solução, pensa se fizer isso muitas vezes, a dor irá sumir, mas não, ela irá aparecer de novo e mais forte. Mas você não sabe o que fazer, só sabe que dói cada vez mais, e como você está perdida sem chão, vai fazer aquilo novamente, e quando faz, parece não se ver sem aquilo, e por isso você alimenta aquele ciclo vicioso todos os dias.

Pessoas que sofrem com isso, só precisam de um amigo, precisam ser ouvidas e aconselhadas, precisam de um abraço para ajudar naquele momento, precisam ser ajudada. Se você conhece alguém que auto-mutila, ajude ela, pergunte como foi o dia dela, se importe com ela, porque um dia essa pessoa vai cansar e pode fazer algo muito pior. Pessoas com depressão e que sofrem com auto-mutilação, uma hora se cansam, elas aguentam até um certo ponto, pedem ajuda, mas quando nada da certo, elas tentam algo. Então ajude o próximo, com pequenas atitudes, pergunte como foi o dia de alguém, diga que essa pessoa é importante, pode ser até uma pessoa que não se auto-mutila, você nunca sabe a guerra que as pessoas enfrentam com si mesma, elas podem parecer feliz, mas no fundo só estão escondendo a dor, então diga isso até para um estranho. E você que se corta, tente se ajudar também, quando sentir vontade de se cortar, risque uma folha com todas as suas forças, desconte suas frustações em um travesseiro, mas não faça isso, grite, chore, se descabela, mas não faça isso. E você é importante, seus problemas são importantes, você não é inútil, você não está sozinha, você consegue!

De: uma pessoa top.

Para: o mundo, ou algumas pessoas que ler isso.

 

 

A cada 40 segundos alguém comete suicídio, a cada 3 segundos alguém tenta suicídio. E por que ocorre tantos casos de suicídios e quais são os motivos? No Brasil em 12 anos, a taxa de suicídios na população de 15 a 29 anos subiu de 5,1 por 100 mil habitantes em 2002 para 5,6 em 2014 – um aumento de quase 10%.

Isso só no Brasil, imagina no mundo todo.

Os motivos são simples, abusos sexuais, casos de estupros, separação de casais, falta de dinheiro na família, e mais um monte de motivos. E essas pessoas que cometem suicídio, não querem acabar com a vida e sim com a dor, pois a dor fica te matando por dentro até te levar a esse ponto, o suicídio.

Mas nós só lembramos dos casos de suicídios no Setembro amarelo, porque muita gente luta contra a prevenção nessa época. Mas nós devemos fazer isso só no Setembro amarelo? Não! Isso acontece todo ano, todo mês, todos os dias, não só em Setembro! Isso acontece no mundo, com milhões de pessoas que estão cansadas de si mesmas e não vejam uma solução para seus problemas. Mas eu vou te falar uma coisa, existe uma solução! A solução é você mesmo, se você quer, você arruma forças para sair de depressão, de tudo que te deixa mal, de tudo que te deixa preso dentro de si e não te deixa ser feliz.

Você consegue tanta coisa, só não enxerga forças em si mesmo, mas existe força, existe esperança, existe uma luz no fim do túnel. Na verdade, eu não acho a vida muito boa, mas acredito que existe partes ótimas que todo mundo quer viver, e sei que você também quer viver isso. Então não faça isso, o mundo tem partes boas e ruins, mas aproveite as partes boas, e acredite em si mesmo!

E você, já que não sabe ajudar alguém com sintomas de depressão, ou que pensa em suicídio, faça a diferença! Elogie alguém, diga que ele (a) está lindo (a), isso muda o dia de qualquer um. Deixa a pessoa desabafar a vontade, e no final abrace ela bem forte e diga que tudo ficará bem, se for virtualmente diga que tudo ficará bem, pois essa é a verdade. Abrace alguém, pode ser até um estranho, pergunte como foi o dia de alguém, deixa ele falar dos seus medos e seus sonhos, deixa ele falar sobre ele! Seja diferente, não lute contra essa causa só em Setembro, lute contra essa causa o ano todo!

De: uma pessoa top

Para: As pessoas que vivem cada dia com uma esperança que tudo melhore!    

Mapa de Editorias