Geral     6 de dezembro de 2017 13:00
Autor: Gislaine Fontoura
Araranguá

Ambulante protesta para continuar trabalhando


Na praça central de Araranguá alguns ambulantes ganham a vida vendendo lanches, dentre eles está Juliano Boeno Boeira, de 30 anos, proprietário do Espetinhos Vitória. Juliano é o representante da terceira geração da família que trabalha vendendo espetinhos. O empreendimento começou com seu avô, passou para seu pai e há nove anos, ele assumiu o negócio.

Há 26 anos o pai de Juliano, o Ita do churrasquinho, montou o ponto na praça da cidade. Juliano conta que o pai criou oito filhos vendendo espetinho e que ele tem duas filhas, uma de dois e outra de seis anos e também sustenta a família com a venda dos churrasquinhos. São três gerações vivendo do comércio ambulante. A esposa de Juliano trabalha com ele e no Espetinhos Vitória, que abre todos os dias da de semana, sem descanso.

O ambulante já tem clientela fixa, no entanto, a partir do próximo ano, será impedido de vender seus churrasquinhos no Centro de Araranguá, pois a Prefeitura Municipal firmou convênio com a Polícia Militar para fiscalizar os ambulantes e a partir do dia 2 de janeiro de 2018 os vendedores fixos não poderão mais atuar no Centro de Araranguá.

A notícia gerou revolta nas redes sociais e muitos protestos foram publicados na rede social Facebook, em apoio a Juliano e aos demais ambulantes fixos de Araranguá. “Conheço o Juliano Bueno Boeira desde a época da escola, esse rapaz trabalha e muito para ter o sustento da família, esse prefeito (…) tá de brincadeira né? Só pode. Seu prefeito vai arrumar as estradas, que em dia de chuva só passa com a Arca de Noé e deixa o povo trabalhar (…)”, disse Day Nara Silva, em uma postagem publicada na tarde desta terça-feira.

Também ontem, Liliane de Jesus, amiga de Juliano publicou uma foto com o ambulante e suas duas filhas no Facebook, junto com uma frase de protesto: “Juliano Boeira protesta… prefeito quer banir vendedores que trabalham há anos tendo já um ponto de trabalho… em cima da calçada… prefeito diz que os trabalhadores estão atrapalhando”. Até o final desta edição a publicação de Liliane já tinha 1.215 compartilhamentos.

Em outra publicação, o ambulante faz um vídeo do Calçadão Central de Araranguá, mostrando pontos comerciais, que ultrapassaram os limites de suas lojas e instalaram cadeiras e quiosques no Calçadão. Junto a este vídeo, o ambulante publica a seguinte frase: “Meu nome é Juliano, preciso da ajuda de vocês para divulgar este absurdo que está acontecendo em Araranguá, minha família corre o risco de ficar sem serviço, pois a Prefeitura de Araranguá está planejando tirar o meu único ganha pão, a forma que o sustento minhas filhas vendendo churrasquinho, peço e conto com sua ajuda para que isto não ocorra, compartilhe o máximo possível, pois se o meu espetinho atrapalha o trânsito e estes grandes empresários, o que eles fazem no calçadão?”.

A reportagem entrou em contato com um assessor do secretário de Planejamento Urbano, Indústria e Comércio de Araranguá, Fernando Serrano e não conseguiu marcar entrevista para esta terça-feira. Nesta quarta-feira será feito contato novamente para tentar falar com o secretário sobre o assunto.

 

Mapa de Editorias