Saúde     23 de agosto de 2017 20:00
Autor: Aline Bauer
Sombrio

Apae atenta para consciência


Na Semana da Pessoa com Deficiência, o foco não é apenas comemorar, mas chamar a atenção para as lutas que essas pessoas travam diariamente. Com o tema ‘Pessoas com Deficiência: direitos, necessidades e realizações’, todas as Apaes estão com atividades para movimentar quem possui alguma deficiência. Em Sombrio, para trazer algo diferente para dentro da entidade, uma ação social foi promovida com várias parcerias. O Instituto Mix, por exemplo, contribuiu mais uma vez embelezando os alunos. “Participamos há 3 anos, trazendo atividades diferentes para os alunos. Para nós é gratificante”, conta Vanusa Gomes, coordenadora geral do Instituto. A equipe fez cortes de cabelo e maquiagem artística. Na sala ao lado, o Lions Mulher, de Belas Furnas fazia exames de visão com os alunos da Apae, como já é costume do grupo. “Gostamos de ajudar quem precisa, de participar. E como o Lions trabalha muito essa questão da visão, viemos fazer o teste com os alunos”, comenta Arlete Scheffer, que foi professora e diretora da Apae por muitos anos. Para ela, a ação é mais do que marcar uma data especial. “É para conscientizar, fazer um trabalho com eles. Eu sou apaixonada por eles, e é muito bom estar aqui”, diz. Os alunos da Apae também receberam instrução sobre saúde bucal e foram avaliados por uma equipe da secretaria de saúde do município. “Viemos para avaliar, falar sobre saúde bucal, instruir sobre os dentinhos. A enfermagem também está atuando e vamos analisar e trabalhar para a prevenção”, explica Carine Cardoso, que junto com a dentista Raquel Tiscoski, pretende planejar algo mais continuado. “Acho que é bem interessante fazer um trabalho continuado, entregando kit bucal, conversando com colegas, e estender isso para as unidades de saúde, onde poderemos avalia-los na cadeira do dentista mesmo”, comenta. A coordenadora pedagógica da Apae de Sombrio, Marli Ivonete Lummertz, se disse feliz com a ação, mas frisa que o objetivo da Semana da Pessoa com Deficiência não é apenas celebrar. “Nosso foco é trabalhar o tema, nos três pontos principais de discussão e reflexão. Além de comemorar, há muito o que se refletir. Queremos quebrar tabus, vencer as desigualdades”, explica. Marli ainda lembra que a busca de inclusão e melhor qualidade de vida para que tem deficiência deve acontecer sempre. “A história de enfrentamento dessas pessoas é diário, e nessa semana, acabamos fazendo um trabalho mais efetivo, mas a luta é contínua”, completa. Cada Apae tem sua programação e em alguns dias, as atividades serão realizadas com as escolas em conjunto.

Mapa de Editorias