Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharelando em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

7 de dezembro de 2017 00:40

Rolando Christian Coelho, 07/12/2017

Deputado federal araranguaense disse que está preparado para voos maiores na política, e defende aliança do PP com o PSDB de Paulo Bauer.


Boeira diz que quer ser vice  – 

 

Deputado federal Jorge Boeira (PP) não escondeu pretensão de ser candidato a vice-governador, ano que vem, em uma eventual chapa encabeçada pelo senador Paulo Bauer (PSDB) ao governo. Esta possibilidade vem sendo trabalhada pelo atual presidente do PP, deputado federal Esperidião Amin, que almeja disputar o Senado Federal no próximo ano. Amim está disposto a abrir mão de brigar internamente para ser candidato ao governo, desde que Paulo Bauer o seja. De olho na geografia política, e sabendo que o Sul do Estado é onde está centrado o maior nicho eleitoral dos progressistas, Esperidião tem defendido o nome de Jorge Boeira para compor como vice de Bauer.

Ontem Boeira disse à coluna que não esconde seu desejo de compor a majoritária. “Penso que estou credenciado para este desafio. Estou em meu quarto mandato como deputado federal e tenho bagagem suficiente para enfrentar um voo maior na política. É claro que isto depende de uma conjuntura maior, e que passa necessariamente pela decisão do governador Raimundo Colombo (PSD) de permanecer no governo e se aliar ao PP, ou de renunciar para disputar o Senado, entregando o governo ao PMDB”, comentou o parlamentar.

Na visão de Boeira, caso renuncie, passando a chave do Palácio Santa Catarina para o vice-governador Eduardo Moreira (PMDB), Colombo estaria liberando o PP de qualquer compromisso de aliança. “Fica difícil de acreditar que o governador irá renunciar em abril, entregando o governo ao PMDB, e que depois irá fazer campanha contra o próprio PMDB. É lógico que se ele renunciar é porque almeja se aliar aos peemedebistas logo em seguida. Efetivada a renúncia, o caminho do PP será naturalmente em direção ao PSDB, reeditando a dobradinha de 2014”, comenta Jorge Boeira.

Nesta conjuntura, Esperidião Amin concorreria ao Senado, integrando-se totalmente a campanha tucano-progressista, algo que não o fez em 2014, quando Paulo Bauer disputou o governo tendo Joares Ponticelli (PP) como candidato a vice.

Paralelo aos fatos, Boeira diz que se mantém focado em seu projeto de reeleição à Câmara Federal. “Meu projeto é o da reeleição, mas quero sim participar da chapa majoritária ano que vem, em princípio como candidato a vice-governador”, ressalta o parlamentar.

Há de se enfatizar que caso não componha como vice do PSDB, o PP poderá ter esta opção junto ao PSD, e Boeira poderia ser novamente lembrado para a dobradinha. “Temos que analisar todos os cenários e possibilidades. As articulações com vistas a 2018 estão apenas começando. Em março ou abril é que tudo ficará bem mais claro”, ressalta o deputado araranguaense.

 

Boa ação

Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa aprovou, por unanimidade, proposta do deputado estadual José Milton Scheffer (PP), que dispõe sobre a isenção de taxa de inscrição em concursos públicos para aquelas pessoas que forem doadores de medula óssea. Atualmente os doadores de sangue já possuem este benefício. O transplante de medula é a única chance de sobrevivência para milhares de pessoas portadoras de leucemia, como também de outras doenças sanguíneas raras. Em Santa Catarina, embora haja 156 mil doadores cadastrados no Hemosc, os 65 pacientes que precisam de transplante de medula no Estado não consegue um doador compatível. É que para cada paciente são necessários cem mil doadores, de modo a se achar dentre estes um doador compatível. A aprovação da proposta depende do plenário da Assembleia, que já se manifestou favorável a iniciativa de Zé Milton.

 

Hipocrisia

Deputado federal Francisco Everardo de Oliveira Silva, o popular Tiririca (PR/SP), fez ontem seu primeiro e último discurso na Câmara Federal, depois de sete anos no parlamento nacional. Usou o espaço que lhe coube para dizer que estava deixando a vida pública por estar decepcionado com o meio político. Disse que deixará seu mandato de cabeça erguida, sem nenhuma vergonha consigo. Dentre outras coisas, ressaltou que levará para o túmulo os segredos de Brasília e que não falará mal de seus pares, esteja onde estiver, mesmo que muitos destes não tenham se dedicado plenamente as suas atividades. Em que pese o ar de vítima, Tiririca foi só mais um a comer, beber e dormir nas custas do povo. Ao longo de dois mandatos terá recebido mais de R$ 2,2 milhões em salários, isto sem falar de carro, apartamento, comida, empregados e tudo mais por conta dos cofres públicos. Em oito anos aprovou apenas um projeto de lei na Câmara Federal, e não se prestou sequer a usar a tribuna do legislativo nacional em defesa do povo brasileiro. Tiririca nada mais é do que a versão pop do político descomprometido com as causas da sociedade. Sua ausência não fará qualquer falta.

 

Planejando

Presidente do Samae de Araranguá, José Hilson Sasso, irá conceder coletiva de imprensa na próxima segunda-feira. Na ocasião, prestará contas das atividades realizadas pelo órgão ao longo de 2017 e falará dos projetos que estão em andamento, assim como dos planejados para 2018. Sasso tem desenvolvido projetos bastante interessantes frentes ao Samae, como um que prevê a aquisição de todas as áreas do município que possuam nascentes. A ideia é fazer com que todas sejam cercadas e preservadas, para que as gerações futuras tenham garantido o acesso à água potável de qualidade no município. Para o próximo ano, o presidente também almeja desenvolver projetos que aproximem mais o Samae da comunidade, através de ações que estão em fase de estudo, mas que provavelmente tangerão as questões sociais e culturais. De olho em 2020, Sasso que turbinar sua gestão daqui para diante.

 

Alvo certo

Perda dos recursos da Serra do Faxinal, não revitalização da rodovia Sombrio-Jacinto, estancamento das obras de revitalização da rodovia Araranguá-Meleiro, além da morosidade, atraso e não anúncio oficial de outras obras em nossa região, têm feito do deputado estadual, e atual Secretário de Estado da Infraestrutura, Luiz Fernando Vampiro (PMDB), constante alvo de pedradas por parte dos deputados estaduais José Milton Scheffer (PP) e Manoel Mota (PMDB). Na prática, a retórica é uma só: a Secretaria ocupada por Vampiro estaria privilegiando de forma demasiada a região de Criciúma, em detrimento dos interesses da população aqui do Extremo Sul. Em que pese a estratégia de Zé Milton e Mota de quererem minar as bases de Vampiro em nossa região, o fato é que eles não deixam de ter razão, pelo menos no que diz respeito ao completo abandono de nosso sistema viário. O abandono da rodovia Sombrio-Jacinto, por exemplo, só pode ser explicado através do mais completo desdém para com a população. Falar de obras novas, então, chega a ser perda de tempo. Até porque, a tal Via Rápida, em Criciúma, deve estar consumindo os cofres do Deinfra.

FRASE

“Liderar um país, um Estado ou um município, é como liderar um lar. Você precisa deixar claro como as coisas funcionam, respeitando as individualidades, mas mostrando que o bem de todos é melhor que o bem de um”.

Margareth Teacher (1925/2013) – Ex-Primeira Ministra do Reino Unido

CHARGE

Mais de Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Eleição sem Lula não seria justa

Presença do ex-presidente petista no pleito de 2018 é fundamental...

Rolando Christian Coelho

2018 está sorrindo para Mota e Zé Milton

Os dois deputados estaduais de nossa região têm tudo para emplacar...

Rolando Christian Coelho

Tem candidato saindo pela culatra

Lista de pré-candidatos ao Senador Federal em nosso Estado já é...

Rolando Christian Coelho

PP de nossa região está ultra valorizado

Jorge Boeira, José Milton Scheffer e Leodegar Tiscoski poderão...

Mapa de Editorias