Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

9 de Fevereiro de 2018 07:54

Rolando Christian Coelho, 09/02/2018

Cúpula tucana quer retomar o comando do país mas não se dispõe a sair de São Paulo, como fazem figuras como Lula e Jair Bolsonaro.


PSDB não tira a bunda de SP

Depois do fracasso da Era Collor, o PSDB tinha tudo para se consolidar como a maior força política do Brasil. Tinha a Presidência da República nas mãos, contava com bons nomes em seus quadros e desfrutava de significativa popularidade, por conta do sucesso do Plano Real, alicerce para de nossa estabilidade econômica, vigente até hoje. Faltou aos tucanos, no entanto, algo que lhes falta até hoje: disposição.

O principal problema dos líderes nacionais do PSDB é que eles continuam acreditando que Brasil se resume as divisas do Estado de São Paulo. Todo o mais soa a estrangeiro. A fora São Paulo, o partido parece minguar. Maior prova disto foi o fato do então presidenciável Aécio Neves (PSDB) ter pedido o segundo turno, na eleição nacional 2014, em Minas Gerais, seu Estado, mas ganho em São Paulo. Este conforto tucano é também a desgraça da agremiação.

Um dos principais reflexos da falta de desprendimento do PSDB está nas regiões Norte e Nordeste, onde a pré-candidatura de Geraldo Alckmin à Presidência oscila entre 1% e 5% das intenções de voto, dependendo dos Estados auferidos. Até Tiririca teria percentuais maiores.

Todo este cenário mostra o quanto ainda falta ser percorrido pelos líderes tucanos. Jair Bolsonaro (PSL), por exemplo, se utilizando meramente das redes sociais e de viagens aqui e acolá pelo interior do país, tem alcançado percentuais que correspondem ao dobro das intenções de votos destinadas aos possíveis candidatos do PSDB. Lula da Silva, outro fenômeno de popularidade, não se custa a perambular Brasil a fora, mesmo sabendo que poderá se algemado na próxima parada.

Nos idos de 1998, quando esteve aqui no Extremo Sul, Leonel Brizola (PDT) me disse em entrevista que o então presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), se viesse aqui, iria achar que os arrozais de nossa região seriam campos de golfe. Brizola fazia referencia ao fato de FHC não conhecer o Brasil, e de fato não conhecia, como não conhece até hoje, assim como também não o conhece a grande maioria dos principais líderes do partido.

O reflexo disto é a falta de popularidade nacional de figuras como Alckmin, que acabam sendo votadas em eleições presidenciais muito mais pela falta de opção do que por afinidade com a população. O interessante é que a receita é sabida e a solução de fácil execução, mas não é posta em prática. A situação tucana é tão grave que o partido já admite até mesmo cair no ridículo de apoiar a candidatura de Luciano Huck à Presidência O fato é que, dando uma casa aqui, reformando um carro velho ali, o apresentador pelo menos acabou conhecendo o Brasil. Verdade que cheirou muita catinga de sovaco, mas não há outra receita para quem, de fato, quer chegar a presidência de um país. Talvez seja o odor o povo o problema do PSDB.

 

Bendito Carnaval

Prefeitos com que tenho conversado estão dando graças a Deus pelo fato do Carnaval ter sido cedo este ano, emendando praticamente com o verão, e dando um alívio no caixa das prefeituras. Com exceção dos municípios litorâneos de nossa região, todos os demais, que somam a grande maioria, acabam diminuindo em muito suas atividades funcionais entre os finais de dezembro e de janeiro. Com o Carnaval sendo realizado na primeira quinzena de fevereiro, o ano acaba começando mais tarde para as prefeituras. A grande maioria, aliás, vem trabalhando desde o final do ano passado apenas durante meio expediente. A partir de março, no entanto, a inevitável rotina é retomada, e os gastos com secretarias como a da Educação e da Saúde voltam às alturas.

 

Desnecessário

Com prisão decretada, deputado federal João Rodrigues (PSD), de forma desnecessária, tentou entrar no Brasil pelo Paraguai. De férias com a família nos EUA, ele argumentou que seu retorno diretamente ao país causaria constrangimento a esposa e filhos, na medida em que já sabia que seria preso. Acabou criando um fato desnecessário. A Interpol estava monitorando seus passos e impediu que Rodrigues desembarcasse no país vizinho. Por certo, mesmo vindo pelo Paraguai, o deputado iria se entregar a polícia. No entanto, acabou gerando um fato que poderá depor contra sua tese de inocência, assim como contra sua tentativa de bater na tecla da prescrição de seu processo, que é oriundo de 1999, ano em que foi condenado por improbidade administrativa, enquanto prefeito em exercício de Pinhauzinho. Ultimamente, diante do judiciário, não se pode dar margens para suposições. A suposição de que ele poderia fugir só agrava sua situação.

 

Ensurdecedor

Excessos cometidos por empresas que são responsáveis por propagandas sonoras, em Araranguá, poderá desencadear, em breve, ação popular contra o executivo municipal, que é o responsável por regulamentar a atividade dos famosos carros de som. O fato é que nos últimos tempos esta atividade acabou extrapolando todos os limites, com as tais propagandas sendo feitas a qualquer hora do dia ou da noite, em volume ensurdecedor. A Ong Sócios da Natureza, por exemplo, já deu ciência ao prefeito Mariano Mazzuco (PP) quanto aos fatos, solicitando imediata providência a este respeito, mas não descarta, enquanto instituição representativa, se utilizar dos mecanismos legais para chamar à responsabilidade o executivo, que, por ora, não tem feito nada a este respeito.

 

Criticas

Operação tapa buracos feita no centro de Praia Grande, denominada na Fanpage da prefeitura de recapeamento asfáltico, gerou críticas nas redes sociais. População reagiu com sarcasmos o fato dos remendos na buraqueira ter sido anunciado como uma realização relevante. Junto as críticas desta situação, se seguiram várias outras, dando conta da precaridade, em especial, das estradas do interior do município, que, de fato, sugerem uma maior atenção por parte do executivo. Convém ressaltar que se Praia Grande pretende se firmar como polo turístico em nossa região precisará investir muito ma manutenção de ruas, avenidas e estradas. As vias públicas são um cartão de visitas de qualquer município, mas a relevância delas em municípios vocacionados para o turismo aumenta de forma relevante.

 

FRASE

“Minhas dúvidas são a mola mestra da minha vida. O dia em que me acordo sem dúvidas fico com medo de mim mesmo, porque tenho percebido que neste mundo, só os idiotas não tem dúvidas sobre nada”.

Orson Wells (1915/1985) – Cineasta americano

CHARGE 

 

Mais de Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Moreira assume hoje com mil promessas para o Sul

Novo governador tem dito que irá fazer investimentos volumosos em...

Rolando Christian Coelho

Colombo e a nova saída para liberar o Fundam 2

Financiamento pelo BNDES não deu certo, mas governo conseguiu...

Rolando Christian Coelho

Prisão de João Rodrigues bagunçou cenário em...

Com provável candidato a vice do MDB fora do páreo, tudo pode...

Rolando Christian Coelho

Peri e Pinho podem compor para 2020

Dobradinha entre PP e PSDB em Sombrio já é tida como certa no meio...

Mapa de Editorias