Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

11 de setembro de 2018 00:04

Rolando Christian Coelho, 11/09/2018

Em princípio, Geraldo Alckmin, do PSDB, é quem tem mais chances de ultrapassar adversários diretos como Marina Silva e Ciro Gomes.


Começa arrancada para ver quem disputará com Bolsonaro

Saída de Lula da Silva (PT) do cenário eleitoral, e atentado contra Jair Bolsonaro, colocaram de vez o candidato do PSL na segunda etapa da eleição presidencial. Questão agora é saber quem irá com ele para o segundo turno. A disputa, em princípio, é acirrada entre Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT) e Geraldo Alckmin (PSDB). Já Fernando Haddad (PT) pretende liderar o segundo pelotão, contando com o espólio eleitoral de Lula.
Se formos levar em conta o histórico do eleitorado brasileiro, tudo indica que Alckmin é quem conseguirá disputar com Bolsonaro a segunda etapa da eleição. Primeiro, porque ele está filiado a um grande partido, com capilaridade em todo o país. Segundo porque está aliado a grandes siglas, igualmente capilares, como o Progressistas de Paulo Maluf, o PTB de Roberto Jefferson, o PSD de Gilberto Kassab, o DEM de Rodrigo Maia, e por ai a fora. De todos os candidatos, Alckmin, através de seus parceiros, é o que melhor representa a média da índole do eleitor brasileiro, muito mais do que Marina, Ciro e qualquer um outro, o que o coloca, virtualmente, no segundo turno.
A de se levar em conta, também, que o MDB de Michel Temer irá descarregar seus votos em Alckmin, pois, como se sabe, o projeto de Henrique Meirelles já nasceu morto.
Alckmin só não iria para o segundo turno se o PT votasse em massa em Ciro Gomes. Mas, para isto, é preciso que parta alguma ordem de dentro do presidio.

Notas

Associação Comercial e Industrial de Sombrio, a Acis, está encaminhando ofício aos candidatos a deputado estadual e federal do Sul do Estado, os questionando sobre seus compromissos com o segmento. Ideia, por óbvio, é a de criar compromissos dos candidatos, que forem eleitos, com o setor comercial e industrial do município. A Acis, a exemplo da Aciva, Associação Empresarial de Araranguá e do Extremo Sul, já declarou que apoia o voto regional, sugerindo que os eleitores de nossa região votem em candidatos daqui. Pelo Extremo Sul, estão concorrendo 13 candidatos a estadual e cinco a federal. Computados todos os do Sul do Estado, são 25 a federal e 40 a estadual.

Secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, esteve ontem em Sombrio para assinar convênios com hospitais da região. A vinda acabou se transformando também num ato político, acompanhada por diversas lideranças do município, o que incluiu o prefeito Zênio Cardoso (MDB) e o presidente da Câmara Municipal de Vereadores, Fabiano Pinho (PSDB). Nos bastidores, a corrida sucessória estadual acabou tomando conta das conversações. Durante almoço, o Coordenador Regional do MDB, Heriberto Schmidt, que também é Secretário Executivo da ADR, disse ter certeza que Mauro Mariani, candidato de seu partido ao governo, “vencerá a eleição na região da Amesc tanto no primeiro, quanto no segundo turno”.

Marketeiros de Mauro Mariani (MDB) precisam rever seus conceitos publicitários. A impressão que dá, em sua propaganda eleitoral, é que o candidato está alheio a realidade do Estado. Mariani também não está colando sua imagem a dos candidatos a deputado estadual e federal. Em meio a tudo, a publicidade eleitoral do candidato nas mídias sociais é fraquíssima, sem contar que em boa parte do material impresso, o nome de Mariani está em marrom, cor que costuma ser utilizada apenas em publicidade para vender urnas funerárias. Para piorar, as cores mais evidentes da campanha são o verde e o vermelho. Verde de Gelson Merisio (PSD) e vermelho de Décio Lima (PT).

Principais dobradinhas proporcionais já parecem consolidadas aqui no Extremo Sul. O Progressistas tem trabalhado os nomes de José Milton Scheffer a deputado estadual, e Leodear Tiscoski a federal. O MDB vem, em sua maioria, com Luiz Fernando Vampiro a estadual, e Ronaldo Benedet a federal. O PSDB está fechado com Dóia Guglielmi a estadual e Geovânia de Sá a federal. O PSD possui duas dobradinhas: Júlio Garcia a estadual, com Ricardo Guidi a federal, e também Evandro Scaini a estadual, com João Rodrigues a federal. O PDT da região tem tentado trabalhar o nome de Rodrigo Minotto a estadual e Manoel Dias a federal, mas Paulinha Silva tem entrado com força nas bases do partido, em busca de uma cadeira na Assembleia Legislativa.

Charge

Mais de Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Algumas candidaturas femininas já levantam...

Há candidatas que não estão usando nem mesmo suas próprias redes...

Rolando Christian Coelho

Facada atingiu mais Alckmin do que o próprio...

Candidato do PSDB não poderá contar com votos que fatalmente se...

Rolando Christian Coelho

Ganância do Estado foi o que criou Jair Bolsonaro

Grande verdade é que a sociedade cansou de carregar a máquina...

Rolando Christian Coelho

Falta sintonia entre candidatos daqui de baixo e...

Mauro Mariani foge de Henrique Meirelles, enquanto Merisio não quer...

Mapa de Editorias