Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

12 de março de 2018 00:33

Rolando Christian Coelho, 12/03/2018

Pré-candidato ao governo pelo PSD disse que irá cortar 85% dos cargos comissionados do Governo do Estado.


Merisio passa boa impressão em sabatina em Araranguá

Presidente catarinense do PSD, deputado estadual Gelson Merisio, passou uma impressão bastante boa durante sabatina com a imprensa na sexta-feira, realizada na sede da Aciva, a Associação Empresarial de Araranguá e do Extremo Sul Catarinense. Sem se furtar em falar abertamente dos temas propostos, o parlamentar, que é pré-candidato ao Governo do Estado, fez questão de pautar suas falas pelor princípio da austeridade.

Em sua retórica, afirmou, por exemplo, que quer diminuir de 1.460 para 200 os cargos comissionados do governo catarinense. Na prática, almeja manter apenas cerca de 15% dos cargos em comissão hoje existentes. Boa parte destes, diga-se de passagem, estão nas Agências de Desenvolvimento Regional, que sumiriam do mapa.

Outro tema polêmico, a previdência estadual foi amplamente abordada por Merisio. O deputado ressaltou que o Estado precisará se desfazer de ativos, vendendo patrimônio próprio, para capitalizar, de modo a enfrentar de frente o rombo previdenciário, através de uma transição que, de acordo com ele, “pode levar meia geração”.

Merisio abordou as questões ligadas às eleições deste ano na mesma lógica do liberalismo. Ressaltou que o modelo de gestão que Governo do Estado mantém desde 2003 não atende mais as necessidades da população catarinense, e que, por conta disto, é preciso inovar. Esta inovação passaria por uma aliança entre PSD, PP e PSB, que, de acordo com ele, são partidos que possuem, em nível estadual, afinidade ideológica e de ações. Para o pré-candidato, é necessário que o eleitor tenha opções diante de um pleito eleitoral, e só o que garantiria esta opção seria o rompimento entre PSD e MDB, que já comandam o Estado há quatro mandatos. No resumo da sabatina, Merísio quer um Estado enxuto, desburocratizado e com um perfil ideológico de centro-direita.

 

Notas

 

Advogada e vereadora meleirense, Maria Ondina Espíndola Caldas Pelegrini, a popular Bá (PP), foi beneficiada neste final de semana por um habeas corpus, conseguido por seu advogado Jefferson Damin Monteiro. Ela estava presa preventivamente em Tubarão, acusada de, supostamente, estar interferindo em investigações que correm contra ela no âmbito privado.

 

Durante sabatina em Araranguá, Gelson Merisio disse que “não há nenhuma hipótese de que pessoas filiadas ao PSD continuem no governo após a saída do governador Raimundo Colombo, em 7 de abril”. Se ficarem terão que se desfiliar do partido. Em nossa região, quatro pessoas filiadas ao PSD ocupam cargos em comissão no governo.

 

Segurança Pública foi amplamente abordada por Gelson Merisio. Disse que, se eleito governador, irá colocar mais 2.500 policiais nas ruas. O recurso para o pagamento deste contingente viria dos 1260 cargos comissionados que pretende extinguir. Enfatizou a necessidade de investir em tecnologia para dar suporte aos órgãos de segurança.

 

Ex-gerente regional de Saúde da Amrec, a jacintomachadense Lisiane Tuon, diz que manterá sua pré-candidatura à Assembleia Legislativa pelo DEM, mesmo que o deputado federal João Paulo Kleinubing (DEM) dispute o Governo do Estado. Num primeiro momento, João Paulo e Lisiane fariam dobradinha no Sul do Estado.

Charge 

Mapa de Editorias