Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

13 de novembro de 2018 00:20

Rolando Christian Coelho, 13/11/2018


Escolas precisam doutrinar seus alunos, e com urgência / /

Nos últimos anos tenho sido convidado, vez por outra, para ministrar palestras em escolas da região. Ora para falar sobre jornalismo, outra hora para falar sobre política, sobre história regional, e por ai afora. Em outras ocasiões desenvolvi trabalhos acadêmicos que necessitavam de minha presença em sala de aula, e então, lá fui eu. Numa significativa parcela destas ocasiões minha impressão não foi nada boa. Deparei-me com duas realidades simultâneas. De um lado, muitos alunos querendo aprender. Do outro lado, em praticamente todas as turnas, um contingente de estudantes medíocres, que, como já se pode imaginar, não servirão para nada no mundo, além de incomodar suas famílias e a sociedade.
Com o exercício destas palestras comecei a perceber que os tais rebeldes constituem uma espécie de grupo autônomo. Um grupelho, na verdade, constituído por cinco, seis elementos, que, ao poucos, vão contaminando vários outros alunos.
A rebeldia, por óbvio, vem da própria burrice que os acompanha. Como não conseguem aprender, se revoltam contra a tese e passam a ser donos, então, de uma antítese. Daí para diante, só o que fazem é incomodar.
Em grande parte, esta dura realidade tem sido enfrentada em sala de aula porque os professores perderam sua autoridade. E esta perda só chegou a este ponto porque, em casa, pais e mães têm nigligenciado seus filhos, têm alimentado seus egos com aparências, ao invés de normatizar seus superegos com a essência. Pior que isto, em uma boa parte dos casos de rebeldia, o que se tem visto é a aparência já totalmente dona da assência do indivíduo.
Por estas, e por dezenas de outras, é que a doutrinação escolar precisa ser ferrenha. Não a doutrinação ideológica, seja ela de direita ou de esquerda. Mas a doutrinação científica e moral. Se o Brasil não começa a remediar seu sistema educacional imediatamente, nosso futuro será tão mediocre quanto estes infortunados.

Notas

Não é só em Araranguá que o PSL de Jair Bolsonaro pretende dar o ar de sua graça na próxima eleição municipal. Em Sombrio o partido tem se reunido e já fala seriamente em lançar candidatura, com chapa pura, ao executivo municipal em 2020. Por óbvio que o sucesso desta empreitada estará ligada diretamente ao trabalho de Bolsonaro enquanto presidente da República, e de Carlos Moisés da Silva enquanto governador do Estado. A bem da verdade, só depende do PSL mostrar que é diferente.

Tribunal de Justiça de Santa Catarina deverá extinguir 75 cartórios de distritos espalhados pelo Estado. Dois deles são de nossa região: o do distrito de Hercílio Luz, em Araranguá, e o de Vila Conceição, em São João do Sul. A baixa movimentação destes cartórios já não justifica mais suas existências. Em que pese a necessidade da adequação aos novos tempos, seria conveniente que os poderes executivo, legislativo e judiciário dos municípios envolvidos se interessassem diretamente pelo assunto, de modo a fazer com que toda a documentação destes cartórios sejam resguardadas, sendo enviadas aos cartórios das sedes municipais. Não raro, documentos centenários, pertencentes à história dos municípios, simplesmente desaparecem em situações como esta.

Vereador sombriense Nego Gomes (MDB) diz que não disputará mais à reeleição. De acordo com ele, os quatro mandatos acumulados até agora na Câmara Municipal são uma espécie de “prova inconteste de amor por Sombrio”. Nego, no entanto, não dá a entender que se afastará da política. “Se eu puder ser aproveitado na majoritária por meu partido, sigo a disposição. Se este não for o entendimento, vou trabalhar para aquele que for o indicado”, sentencia.

Ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini (PSD), que concorreu à Assembleia Legislativa neste ano, ainda não se posicionou em relação a seu futuro político. A lógica, no entanto, indicada que este futuro será relativamente longe do PSD, que no Sul do Estado passou a ser totalmente dominado pelo grupo do deputado estadual eleito Júlio Garcia, com quem Evandro rivalizou no pleito de Outubro. Afora a questão partidária, outra dúvida está ligada ao domicílio eleitoral de Evandro, que está sediado em Balneário Arroio do Silva, mas que poderá ser transferido para Araranguá, com vistas a 2020. Por enquanto, o ex-prefeito, que é comerciante, diz que só tem uma coisa em mente: “Vender sapatos”.

Notas

Mapa de Editorias