Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

14 de maio de 2018 00:13

Rolando Christian Coelho 14/05/2018

Ex-prefeito de Arroio do Silva está disposto a concorrer a uma vaga à Assembleia Legislativa, mesmo que Júlio Garcia tenha o mesmo projeto.


Evandro Scaine diz que fará anúncio na próxima quinta  /  / 

Ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaine (PSD), deverá oficializar sua pré-candidatura a deputado estadual na próxima quinta-feira, 17. Sua intenção de disputar o parlamento catarinense não tem condicionantes. Isto significa que mesmo que o ex-deputado estadual Júlio Garcia (PSD) concorra à Assembleia Legislativa, Evandro também o fará.

De acordo com o ex-prefeito “não haverá enfrentamento interno com Júlio, pois a candidatura dele é estadualizada e deverá alcançar cerca de 70 mil votos”. Nesta lógica, Scaine aposta que o ex-deputado não irá pressionar ao extremo as bases do PSD em nossa região já que elas, em tese, não seriam determinantes para sua eleição.

De fato Júlio Garcia é um daqueles políticos considerados eleitos no pleito deste ano, por conta do leque de relações que possui, não só no Sul do Estado, mas em toda Santa Catarina. Por conta disto, a candidatura de Evandro o atrapalha, mas não o ameaça.

A grande questão é saber como se posicionariam os cinco prefeitos e os quatro vice-prefeitos do PSD do Extremo Sul, assim como as dezenas de vereadores e suplentes de vereadores ligados ao partido. Em princípio todos parecem fechados com Garcia, mas, como se sabe, em política o que menos há é unanimidade.

Independente da possível briga interna, Evandro Scaine parece bem lúcido de sua decisão. Pesa contra ele o excesso de confiança no eleitorado regional. A bem da verdade, grande parte dos eleitores do Extremo Sul não seguem líderes, e sim cabos eleitorais ligados a líderes. Por conta disto, uma campanha eleitoral, em nível estadual, para ser exitosa por aqui, precisará contar, necessariamente, com muita, muita gente envolvida. Só a ideia de renovação não convencerá a população.

 

Notas

Pressionado por líderes políticos de Jacinto Machado para dar um jeito na calamitosa situação da rodovia que liga o município à Praia Grande, diretoria do Deinfra foi curta e grossa: não há recursos sequer para o patrolamento da estrada. Paralelo a isto, o órgão diz que estão sendo feitos os estudos para se alocar recursos para a pavimentação asfáltica da rodovia! Os caras não tem dinheiro para o café da manhã e estão prometendo banquete à noite.

 

Revelações ligando os ex-presidentes militares Ernesto Geisel e João Batista Figueiredo à execuções de militantes de esquerda, durante a última ditadura militar no Brasil, tem endereço certo. Depois do esforço empreendido para se livrar de Lula e seus asseclas, agora é hora de se livrar do outro lado da moeda, que atende pelo nome de Jair Bolsonaro, capitão da reserva do Exército Brasileiro. Para o tal ‘sistema’ o caminho do meio é o melhor para todos.

 

Delegado Ulisses Gabriel, pré-candidato à Assembleia Legislativa pelo PSD, diz que não tem nenhum compromisso com o deputado estadual Ricardo Guidi (PSD) para uma eventual dobradinha com ele em sua intenção de disputar a Câmara Federal. Ulisses é de Turvo e atua na Segurança Pública do Estado em Criciúma. Trata-se de um dos nomes novos da política Sul catarinense que pode surpreender no pleito deste ano já que tem construído um projeto de candidatura estadualiza e com fortes vínculos.

 

Ex-deputado federal petista Cláudio Vignatti, que concorreu ao governo estadual em 2014, tem entrado em contato com a imprensa preocupado que está com a falta de recursos para a duplicação da BR 282. Bom, os R$ 1,2 bilhões que os governos Lula e Dilma emprestaram para Venezuela e Moçambique, e que não foram pagos, daria para duplicar duas vezes a 282 e ainda sobrava umas duas Serras da Rocinha e umas cinco do Faxinal. Aliás, o dinheiro para saldar o calote saiu do Seguro Desemprego, dinheiro do trabalhador.

Charge

Mais de Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Scaini tem até hoje à tarde para registrar...

PSD não registrou candidatura do ex-prefeito de Balneário Arroio do...

Rolando Christian Coelho

MDB terá que ir para o tudo ou nada no primeiro...

Em havendo segundo turno em Santa Catarina, partido terá muita...

Rolando Christian Coelho

Campanha pode começar de forma oficial amanhã

Registros de candidaturas precisam ser oficializadas até esta...

Rolando Christian Coelho

Leodegar deverá concorrer a federal no lugar de...

Ex-deputado federal sulista diz que suas chances de concorrer à...

Mapa de Editorias