Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

18 de setembro de 2018 00:58

Rolando Christian Coelho, 18/09/2018

Há candidatas que não estão usando nem mesmo suas próprias redes sociais para dizer que estão concorrendo à deputada neste ano.


Algumas candidaturas femininas já levantam suspeitas de fraude / /

Nada menos do que 24 mulheres estão disputando as eleições proporcionais deste ano pelo Sul do Estado. Deste total, seis são candidatas a deputada federal, e 18 a estadual. Dentre estas candidatas, seis estão postulando a Assembleia Legislativa aqui pelo Extremo Sul catarinense, a chamada região da Amesc.
Há de se observar, no entanto, que boa parte destas candidaturas não são vistas nas ruas. Para se ter uma ideia, várias das candidatas sulistas sequer colocaram nas suas próprias redes sociais que estão disputando a eleição estadual deste ano, o que acaba abrindo espaço para várias especulações, dentre elas, a de que algumas mulheres são meramente candidatas fantasmas, como as que levaram a cassação de cinco vereadores em Sombrio, sob a acusação de crime eleitoral, por preencher de forma artificial vagas destinadas às mulheres.
De acordo com a Legislação Eleitoral, para cada dez vagas abertas para as disputas proporcionais, três têm que ser preenchidas por mulheres. Na prática, uma candidatura feminina acaba abrindo a possibilidade de que dois homens, em 2018, disputem como candidatos a deputado federal ou estadual. Se o percentual de 30% que cabem às mulheres não for preenchido, isto inibe o lançamento de candidaturas masculinas.
Em princípio não há como apontar o dedo para esta ou aquela candidatura feminina. Até que sejam abertas as urnas, qualquer uma pode alegar que sua candidatura tem um outro viés de trabalho, como, por exemplo, o de bater de porta em porta pedindo votos, nem que seja uma vez por mês, durante meia hora. Após o anúncio oficial do resultado eleitoral, no dia 7 de Outubro, no entanto, a máscara de muitas irá cair. Será a hora de saber, então, se a Justiça Eleitoral será tão implacável quanto foi com os vereadores de Sombrio.

Notas

Ermo tem candidata a deputada estadual. Trata-se de Jana Acordi (Psol), filha do líder comunitário André Acordi (Psol). Jana está radicada no Oeste do Estado, onde é professora, mas isto não a tem impedido de, através de familiares, promover campanha também em nossa região. Em 2006 seu pai disputou a Assembleia Legislativa pelo mesmo Psol, ocasião em que fez 643 votos, uma votação significativa no Extremo Sul, levando em conta o discurso de extrema esquerda, direcionado quase integralmente aos eleitores das zonas rurais.

Suplente de deputado federal, Edinho Bez (MDB) partiu para uma ofensiva na região. Ontem visitou correligionários em Sombrio, Turvo e Ermo. Está sentindo que a dobradinha Ronaldo Benedet (MDB) a federal, e Luiz Fernando Vampiro (MDB) a estadual, está ganhando corpo no Extremo Sul, e, por conta disto, precisa contra-atacar. A ausência de Edinho no parlamento nacional, de forma continua nos últimos anos, acabou fragilizando seu projeto em 2018. Negócio é apostar naqueles emedebistas que não fecham com Benedet em nossa região. Paralelo a isto, solicitar aos prefeitos do MDB, que estão fechados com Benedet, que não obstruam a conquista de apoios.

Ao contrário do que se imaginava, deputado estadual Manoel Mota (MDB) não está batendo de porta em porta, em nossa região, pregando a candidatura de Volnei Weber (MDB) ao parlamento catarinense. Em julho, quando declinou da possibilidade de ir à reeleição, Mota ressaltou que Volnei teria o seu apoio. Tal apoio, no entanto, está sendo muito mais institucional do que de corpo a corpo. O fato de ser de São Ludgero, e estar centrando quase que a totalidade de seus esforços na região de Tubarão, também é algo que depõe contra Volnei aqui no Extremo Sul.

Pesquisa CNT/MDA, que auferiu a intenção de votos dos brasileiros para os candidatos à Presidência da República, indicou Jair Bolsonaro (PSL) com 28,2% da preferência dos eleitores do país. Em segundo aparece Fernando Haddad (PT), com 17,6%, seguido de Ciro Gomes (PDT), com 10,8%. Em quarto lugar vem Geraldo Alckmin (PSDB), com 6,1%, seguido de Marina Silva (Rede), com 4,1%. Os demais candidatos pontuam entre 0,3% e 2,8%. A pesquisa foi realizada entre os dias 12 e 15 de setembro, com 2002 entrevistados, tendo margem de erro de 2,2% e nível de confiança de 95%. Ela está registrada no TSE sob o número BR/04362-2018.

Charge

Mapa de Editorias