Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

26 de abril de 2018 00:48

Rolando Christian Coelho 26/04/2018

Maiorias das lideranças pessedistas de nossa região têm dito que estratégia do partido para 2018 é nebulosa e incompreensível.


PSD da região continua sem entender PSD/SC   /  /

Há quase um ano a vida do PSD estadual virou um mar de interrogações. Afinal de contas, o que o partido de Gelson Merisio, Júlio Garcia e Raimundo Colombo realmente quer de 2018? Se a resposta já existe, definitivamente ela não chegou a nossa região. Pelo menos é isto o que afirma a maioria dos pessedistas com que tenho conversado nos últimos tempos. Basicamente, eles simplesmente não sabem qual caminho o PSD irá tomar, e tão pouco sabem o porquê de tantos desencontros.

Ninguém entende, por exemplo, porque os caciques do partido, lá em cima, não estão unidos em torno de uma única candidatura, seja ela qual for. Uma incógnita recorrente diz respeito a Júlio Garcia. Num primeiro momento o governador Raimundo Colombo deu corda para que Gelson Merisio articulasse sua candidatura ao governo. Com o palco todo armado para que Merisio consolidasse seu nome em nível estadual, o próprio Colombo nomea o deputado estadual Zenei Ascari (PSD) como Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, abrindo espaço para que Júlio Garcia disputasse à Assembleia Legislativa. Detalhe: já se sabia que Garcia era contrário a candidatura de Merisio! Ato seguinte Colombo renuncia ao governo, o entregando ao MDB, que fará oposição ao PSD neste ano!

Um dos principais líderes do PSD de nossa região chegou a me dizer que, em 30 anos de atuação política, nunca havia visto tanta trapalhada em tão pouco tempo dentro de um partido. “A gente fica esperando para ver se há um segredo por trás disto tudo, mas a cada dia que passa o que vemos é que não há coelho na cartola. É só uma sequência de erros mesmo, de verdade”, comentou a fonte.

 

Notas

 

Prefeito de Passo de Torres, Jonas Souza (MDB), e de Maracajá, Arlindo Rocha (PSDB), estiveram reunidos ontem, em Brasília, com o Ministro das Cidades, Alexandre Baldy. O encontro foi intermediado pela deputada federal Geovânia de Sá (PSDB). Na pauta a busca de recursos para investimentos em obras de infraestrutura nos dois municípios.

 

Vice-prefeito de Praia Grande, Mack Citadin (PSD), diz que seu partido não deve nutrir esperanças quanto ao lançamento de uma “candidatura alternativa” a deputado estadual por nossa região. De acordo com ele, o PSD do Sul do Estado está totalmente fechado com o projeto de Júlio Garcia, que pretende retomar sua cadeira na Assembleia. Sem citar nomes, por óbvio Mack se refere à pretensão do ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini (PSD), de concorrer ao parlamento catarinense.

 

Empresários sombrienses João Maria Goulart, proprietário da Flor Linda, e Juliano dos Santos Manenti, da JP Máquinas, se filiaram ao MDB, a convite do prefeito Zênio Cardoso (MDB). Ambos exercem uma forte influência no setor empresarial do município, o que acaba somando preciosos pontos na articulação desencadeada por Zênio para eleger seu sucessor em 2020.

 

Empresário João Bonamigo Filho, que é filho do ex-prefeito de Balneário Gaivota, João Bonamigo (MDB), está ajudando a estruturar o DEM no município. Em princípio ele diz não ter intenção pessoal no pleito de 2020, mas admite que, na busca do melhor para Gaivota, pretende acompanhar o cenário político local mais de perto. É um dos nomes que fatalmente será lembrado para a disputa do executivo no próximo pleito municipal. Seu pai foi um dos prefeitos que mais realizou obras estruturantes no município.

 

Charge

Mapa de Editorias