Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

30 de novembro de 2018 08:52

Rolando Christian Coelho, 30-11-2018


Ricardo Guidi está tendo sorte para dar e vender / /

A sorte não costuma ser muito amiga dos políticos. Na maioria absoluta dos casos, as circunstancias costumam ser cruéis com quem almeja algum cargo público eletivo. Não foi o caso do deputado estadual, e futuro deputado federal Ricardo Guidi (PSD).
Em 2016 ele deixou o PPS e se filiou ao PSD com o objetivo de ser candidato ao legislativo federal. Diante de tantos caciques de seu partido com a mesma pretensão, o projeto de Guidi nasceu desacreditado. Ao longo dos meses, no entanto, ele viu o deputado federal João Rodrigues (PSD) ser preso, o também deputado federal João Paulo Kleinubing deixar o PSD e se filiar ao DEM, e o igualmente deputado federal César Souza (PSD) desistir de concorrer a reeleição. Dentro do PSD o caminho não poderia ter ficado mais limpo.
Já na disputa propriamente dita, Guidi ainda foi beneficiado pelas mãos dos céus. João Rodrigues disputou a reeleição, ficando na frente de Ricardo, o que o desbancaria. Todavia, os votos de João Rodrigues ficaram congelados, por conta de seu processo, e assim estão. Paralelo a isto, a justiça determinou que João Rodrigues volte para a cadeia, o que beneficia diretamente Ricardo Guidi. Como se tudo ainda fosse pouco, a deputada estadual Ana Paula Lima (PT) só não foi eleita federal no lugar de Ricardo pela falta de um voto na legenda de sua coligação. Se eu fosse ele, começaria a jogar na Mega Sena ainda hoje.


Notas

Vitória de Jorginho Mello (PR) no Tribunal Superior Eleitoral, o que lhe assegurou 8 anos de mandato como Senador, praticamente carimbou o passaporte do presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, numa das cadeiras da cúpula do governo catarinense, na gestão de Comandante Moisés (PSL). Caso Jorginho tivesse sua candidatura cassada, Esmeraldino assumiria em seu lugar. Secretaria da Casa Civil é agora seu destino mais provável.

Sérgio Cabral, Antony Garotinho, Rosinha Garotinho e agora Luiz Fernando Pezão. Todos ex-governadores do Rio de Janeiro presos por conta de participação em esquemas de corrupção. Das duas uma: ou os eleitores fluminenses são muito coniventes com a ladroagem na política, ou são muito tapados. Diante dos fatos, parece até ser um milagre Jair Bolsonaro (PSL) ter sido eleito por aquele Estado 27 anos seguidos, mantendo um franco discurso de combate ao crime.

Em que pese os projetos paralelos no legislativo araranguaense, no que diz respeito a eleição para a presidência da Casa no mês que vem, tudo indica que o vereador Daniel Viriato Afonso (PP) irá se reeleger. Por óbvio que o clima que ajudou a elegê-lo no início de 2017 não é mais o mesmo. Todavia, o aparente esfacelamento do G-6 e a carta branca do prefeito Mariano Mazzuco Neto (PP) a Daniel, afora seu próprio poder de articulação e fogo político, deverão fazer a diferença necessária neste embate.

Prefeito de Balneário Gaivota, Ronaldo Pereira da Silva (PP), acredita que várias das obras ligadas a mobilidade urbana, do programa Avançar Cidades, contratualizadas entre a municipalidade e o Governo Federal, via BNDES, poderão ser iniciadas ainda este ano. O pacote não é pequeno. São R$ 5 milhões em investimentos, que levarão vários meses até a conclusão final. “Vamos elevar em muito o padrão urbanístico nas áreas mais periféricas. Nossa cidade será um balneário de excelência”, comenta o prefeito.

Charge

Mapa de Editorias