Saúde     11 de outubro de 2017 10:00
Sombrio

Caps comemora Dia da Saúde Mental


Moradora do bairro São Luís, Ianara Marcelino Machado vem toda semana ao centro da cidade e não poupa elogios ao avaliar o atendimento prestado pelo Caps (Centro de Atenção Psicossocial) de Sombrio. Para um serviço prestado pelo Sistema Único de Saúde (SUS), palavras tão positivas não são comuns.

Ianara estava no local na tarde de ontem acompanhando o filho de sete anos, que recebe acompanhamento. “As funcionárias daqui são carinhosas, escutam a gente, me ajudam a lidar com ele e isso até me alivia o estresse”, disse a mãe, que levou o menino para participar de uma tarde diferente no Caps. A programação especial foi para comemorar o Dia Mundial da Saúde Mental, celebrado em 10 de outubro. Foram oferecidas atividades como xadrez, orientação de odontologia, fonoaudiologia, nutricional, oficina de pintura, atendimento de manicure e de sobrancelha, corte de cabelo e texto rápido em designer, tudo oferecido por servidores da Secretaria de Saúde e voluntários.

A coordenadora do Centro de Atenção, Leonete Pereira de Souza, a Netinha, lembra que a presença dos pacientes neste tipo de integração é importante. “A saúde mental envolve a autoestima, a convivência, envolve tudo”, disse.

A psicóloga Eliza Policarpo concorda, e falou sobre as ações que o Caps, recém iniciado, está oferecendo, como as oficinas de artesanato e xadrez semanais, e a colaboração de uma colega psicóloga. A intenção é aumentar essa estrutura, mas ela já é capaz de ajudar pais como Nelson da Cunha e Claudecir Cardoso. Os dois são separados e compartilham a guarda da filha de 11 anos, que começou a frequentar o Caps há menos de um mês. “Não sabemos bem o que ela tem, esperamos que com o tratamento melhore. A gente não desiste, faz o que pode pra ajudar nossa filha”, disseram. O Caps de Sombrio faz cerca de 360 atendimentos por mês, entre psicológico individual e em grupos, médico e acolhimento.

 

Mapa de Editorias