Geral     13 de novembro de 2017 12:00
Sombrio

CDL e Unesc movimentam Sombrio


A CDL de Sombrio realizou o Sábado Mais de novembro, em que o comércio ficou aberto até às 17 horas, com diversas atrações. A cada edição, o presidente Fernando Dalla Vechia de Souza enfatiza o empenho dos lojistas em aproveitar o horário estendido para oferecer informação e uma programação diferenciada à população. “Tentamos atrair as famílias não apenas para as compras, mas para a rua, para aproveitar e conhecer o que a cidade tem”, diz.

A parceria desta vez foi com a Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc), que veio para o município, pela primeira vez, com seu projeto Unesc na Praça. O contato inicial da CDL foi com a presidente da Associação de Estudantes Universitários de Sombrio Renilda Espíndola. “Assim que falei com a universidade, a ideia foi aceita na hora”, informa a acadêmica de direito. Renilda afirma que muita gente ainda não conhece seus direitos básicos, apesar da facilidade de acesso as orientações hoje em dia. “Por isso é importante colocar o direito mais perto da comunidade”, defende.

E assim o Calçadão da avenida Getúlio Vargas foi tomado, durante toda a manhã e parte da tarde de sábado, por estudantes dos cursos da área de saúde, de direito e outros, que colocaram a disposição de quem passava, serviços como tipagem sanguínea, medição de pressão e de glicose e orientação aos jovens interessados em estudar na Unesc, sobre opções de cursos e formas de ingresso. “É também uma maneira de incentivar a juventude a fazer uma faculdade, pois conhecimento é cada vez mais importante”, defende Renilda.

Entre as atividades gratuitas mais procuradas por quem passava pelo Centro de Sombrio, estava a  auriculoterapia, técnica que utiliza sementes, colocadas na orelha do paciente, para resolver problemas que vão dos rins até a ansiedade. É justamente a ansiedade excessiva que preocupa a estudante de farmácia Laís Evaldt,que aproveitou para experimentar o tratamento alternativo. Aauriculoterapia estava sendo aplicada pelo acadêmico Afonso David Nkadi. Afonso, que veio de Angola frequentar a Unesc, explica que para melhor resultado a pessoa precisa ter acompanhamento por um período mais longo, e não uma única sessão como ele estava fazendo na praça. Mesmo assim, o benefício já é possível, disse.

No final do dia, a CDL fez mais um sorteio de um vale-compras de R$ 500,00.

Mapa de Editorias