Agricultura

14/02/2018 18:00

Turvo sedia II Abertura da Colheita de Sementes de Arroz


Acontece nesta sexta-feira, a partir das 8h30min, em Turvo a 2° abertura da colheita de sementes de arroz na Agrogiusti. O evento realizado pela produtora de sementes Agrogiusti conta com o apoio da Epagri, prefeitura de Turvo e empresas parceiras.

De acordo com o gerente Regional da Epagri Reginaldo Ghellere, Santa Catarina é exemplo para todo o país na produção de sementes de arroz de alta qualidade, fruto de uma grande parceria entre o setor público e privado. “Todo o processo inicia na Epagri com a pesquisa para o desenvolvendo de novos cultivares, depois, esse material genético é levado para a Agrogiusti que multiplicará para os demais produtores de sementes do estado e, depois disso chegar nas mãos dos agricultores catarinenses. As sementes possuem qualidade tão elevada que muitos agricultores de outros estados compram a semente de Santa Catarina. Inclusive, já tivemos exportações para diversos países da América do Sul e da África”, conta.

O evento será aberto aos produtores de arroz. Além da abertura da colheita, os participantes terão diversas palestras técnicas, visitarão os campos de sementes e os experimentos regionais.


07/02/2018 10:00

Rizicultores se reúnem para debater a comercialização do grão


Durante a tarde desta terça-feira, cerca de 2 mil rizicultores de Santa Catarina e Rio Grande do Sul estiveram presentes na reunião da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz, em Turvo, que teve como finalidade debater e apresentar propostas para sanar a crise que se instala na rizicultura. Em números atuais, o custo de produção do arroz, é superior a R$ 40 por saca de 50 quilos, e o preço de comercialização ao produtor em R$ 31, com isto, torna-se inviável ao agricultor, principalmente o pequeno manter-se na atividade.

Dentre os principais fatores desta crise: estão o excesso de oferta, consumo estagnado, preços que não cobrem custos de produção, preço mínimo abaixo dos custos, endividamento de produtores, inadimplência alta e importação do arroz do Mercosul.

“Os arrozeiros foram em busca de tecnologias, ampliaram a sua produtividade e novamente estão pagando o preço pelos altos custos de produção devido à pesada carga tributária”, frisou o coordenador da Câmara Setorial do Arroz, deputado Zé Milton, que no próximo dia 15 estará com o governador Raimundo Colombo para entregar a carta de reivindicação dos arrozeiros. O parlamentar defende que o setor tenha neste ano a isenção de ICMS, para que o arroz catarinense tenha competitividade frente ao arroz oriundo do Mercosul.

“Ou o Governo revê a forma de tributação no País e impõe as mesmas barreiras fitossanitárias que são dadas ao nosso agricultor, seja dada ao arroz produzido fora do país, ou estamos decretando a crise definitiva da rizicultura”, defendeu o rizicultor.

Após o debate que contou também com a presença dos presidentes das cooperativas, Federarroz, Sindicatos, agricultores de Santa Catarina e Rio Grande do Sul e da Indústria de Beneficiamento do arroz foi formulada a Carta dos Rizicultores com as principais reivindicações da classe.

AÇÕES IMEDIATAS

1. Lançamento imediato de leilão de PEP e PEPRO para escoamento de 1,2 milhões de toneladas de arroz – GOVERNO FEDERAL/MAPA/CONAB;

2. Lançamento imediato de leilão para aquisição de 500 mil toneladas de arroz através de AGF, com simultânea transferência através de ajuda humanitária á países necessitados – GOVERNO FEDERAL/MAPA/CONAB;

3. Suspensão dos vencimentos de dívidas de custeio/investimento/comercialização/prorrogações dos rizicultores, até que seja feito estudo de reestruturação da atividade e do endividamento – GOVERNO FEDERAL/MAPA/CONSELHO MONETÁRIO NACIONAL;

4. Convocação de reunião extraordinária do CONSELHO FAZENDÁRIO (CONFAZ) e articulação para acordo de suspensão dos benefícios fiscais para o produto importado com equiparação das alíquotas estaduais, sob pena de agravamento da crise fiscal do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina – GOVERNO FEDERAL/MINISTÉRIO DA FAZENDA/CONFAZ/GOVERNO DO RS;

5. Criação de Força Tarefa para fiscalização FITOSANITÁRIA         de todo arroz importado – MAPA/ANVISA;

6. Certificação, por empresa com credenciamento Internacional, de isenção de resíduos de agrotóxicos para nacionalização de produto importado – ANVISA;

7. Isenção temporária de cobrança de ICMS sobre saídas internas e interestaduais de arroz beneficiado a partir de matéria prima Catarinense,  em SC – GOVERNO DE SANTA CATARINA/SEFAZ;

8. Criação de Força Tarefa para fiscalizar fraude de importação de arroz beneficiado e empacotado de forma divergente do Regime Especial concedido pelos Estados que exigem processo industrial mínimo internamente – RECEITA FEDERAL/RECEITAS ESTADUAIS;

 

AÇÕES ESTRUTURANTES

1. Constituir Grupo de Trabalho para identificar e propor correções das assimetrias do MERCOSUL para o arroz, abrangendo no mínimo:

1- A – tributação do arroz importado em percentuais iguais aos do produto Nacional;

1- B – permissão de comércio de defensivos agrícolas, dentro do bloco, com princípio ativo e apresentação semelhantes a produto registrado no país;  

1- C – estabelecimento de cotas de importação de arroz dos países do MERCOSUL, sinalizando a eles a necessidade de planejar a produção segundo a inserção no mercado, evitando a substituição do produto nacional pelo importado, como ocorre hoje com o trigo;

2. Equalizar ou zerar os percentuais de ICMS para saídas internas e interestaduais de arroz em todos os Estados Brasileiros;

3.Redefinir e ampliar infraestrutura logística portuária para exportação de arroz em Portos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina;

4.Reestruturar o endividamento Setorial, compatibilizando encargos financeiros e prazos de acordo com a capacidade do setor;

 

 

 


05/02/2018 20:00

Epagri recebe R$ 3 milhões em convênios


A Epagri inicia o ano com um aporte de R$ 3 milhões do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) referente a cinco projetos na área de extensão rural. Adicionando as contrapartidas da Empresa, o valor global dos investimentos alcança R$ 3.161.607,82. O valor será destinado à capacitação de jovens rurais e a melhorias em três centros de treinamento. “Esses recursos vieram para equipar e fortalecer nossos centros como unidades modelo onde os agricultores poderão observar o conjunto de tecnologias disponíveis para cada atividade”, explica Paulo Lisboa Arruda, diretor de Extensão Rural da Epagri.


02/02/2018 08:00

Benedet busca alternativas para os rizicultores


Como membro da Frente Parlamentar da Agricultura e dos Rizicultores, o deputado federal Ronaldo Benedet foi procurado na última semana pelo prefeito de São João do Sul, Moacir Teixeira, pelo vice-presidente da Cooperativa de Eletrificação Rural de Praia Grande, Edevaldo Sala Sheffer, o empresário Ronaldo Carlessi, além do rizicultor, Marcio Grey Magnos e demais rizicultores da região Sul de Santa Catarina sobre a crise do setor, provocada pela importação do cereal do Uruguai.

Assim que cobrado pelo setor, Benedet solicitou ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento uma solução imediata e foi informado nesta semana que o Governo vai liberar R$ 100 milhões para apoiar a comercialização do arroz, por meio dos mecanismos de Aquisições do Governo Federal – AGF – e dos prêmios de Escoamento do Produto – PEP – e Equalizador Pago ao Produtor – Pepro.

“Esta crise no setor, e a compra do arroz do Uruguai está ocasionando uma queda no preço do produto no Brasil e colocando em dificuldades milhares de produtores do nosso estado, principalmente de nossa região, por isso, levamos essa situação ao ministro”, destaca Benedet.

O primeiro leilão de PEP e Pepro está previsto para ser realizado em fevereiro, antes da abertura oficial da colheita do arroz, marcada para os dias 21, 22 e 23 de fevereiro. No total, os pregões ofertarão um milhão de toneladas para esses dois mecanismos e 200 mil toneladas para AGF. O volume representa quase 15% da produção gaúcha e catarinense.

O governo pretende com os leilões garantir o cumprimento da Política de Garantia de Preços Mínimos, para que nenhum produto seja vendido abaixo do mínimo estabelecido. Além disso, o governo irá contribuir para o que produtor possa equilibrar suas contas.

Na próxima quarta-feira, o deputado Ronaldo Benedet tem audiência com o ministro Blairo Maggi para discutir a reivindicação do setor que solicita leilões de AGF (Aquisição do Governo Federal). Benedet também levará o assunto para o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, na terça-feira, dia 6.

 

Carregar mais

Mapa de Editorias