Ecologia

11/12/2017 18:00

Ação limpa areias para o verão


Sacolas plásticas, garrafas de bebidas, embalagens de salgadinhos e até mesmo peças de roupas são alguns dos itens coletados pelos voluntários que neste final de semana participaram das ações de limpeza das dunas e da beira da praia.

A limpeza das dunas realizada na sexta-feira foi uma iniciativa do Departamento Municipal de Meio Ambiente, que protagonizou o início dos trabalhos para a alta temporada que tem como meta três atividades semelhantes até o mês de março de 2018. “Começamos agora, mas nosso trabalho será durante todo o ano de 2018, com atividades que comunidade também possa participar e ações que promovam a conscientização de quem por aqui passa”, comentou Marcelo Aguiar Alves, diretor municipal do Meio Ambiente de Balneário Gaivota.

Para a bióloga municipal Adelsa Fernandes, a quantidade expressiva de lixo recolhido nas dunas reflete a falta de conscientização ainda quanto ao cuidado com o meio ambiente. “Temos que preservar e proteger nossas dunas e praias”, declarou..

Zenízio da Rosa, diretor municipal de turismo também ajudou na limpeza das dunas. “Nossa praia além de linda, é um grande atrativo turístico, a ação Praia Limpa é muito bem vinda e deve ser mantida ao longo do ano. Participar desta ação revela que temos muito que conscientizar as pessoas em relação ao cuidado do meio ambiente”.

O departamento de ambiente já tem agendado uma limpeza logo após a virada do ano e outra logo após o CarnaGaivota 2018. “São as datas que geralmente aumenta o número de lixo encontrado na beira da praia, mesmo tendo lixeiras e locais adequados para descarte” finaliza Marcelo.

Ação do domingo

No domingo pela manhã, o gabinete da vereadora Maria Aparecida Scheffer também realizou uma ação de limpeza da orla em parceria com a Associação Gaivota de Surf, Associação de Body Board, Estação Saúde e Departamento Municipal de Cultura de Balneário Gaivota.

O grupo de voluntários também se deparou com uma enorme quantia de lixo na beira da praia. “Realmente é triste ver que as pessoas descartam lixo na beira da praia, fazendo mal para o meio ambiente e para todos nós. Devemos criar formas de conscientizar as pessoas a respeito do assunto”, comenta a vereadora Cida.


05/12/2017 08:00

Parque Ecológico é destaque em Meeting de Turismo


O Parque Ecológico Maracajá é um dos ‘cases’ de sucesso do turismo regional sul e será destaque no 3º Meeting do Turismo – Sul Catarinense, programado para esta terça-feira, à partir das 9h30, no Hotel Internacional Gravatal, promovido pela Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte (SOL).

“Vamos relatar como o Parque surgiu, na década de 1990, como se constituiu, qual sua realidade e projetos que temos para iniciarmos um novo ciclo na história deste que é nosso principal equipamento turístico”, informa Gisele Dal Pont, diretora do Departamento de Meio Ambiente da Secretaria de Turismo e Meio Ambiente de Maracajá.

Em uma área com mais de 100 hectares, o Parque Ecológico Maracajá conta, desde 2002, com o Centro de Eventos dos Jerivás, com capacidade para 800 pessoas, usado para eventos em geral. O parque é dotado de mais de um quilômetro de trilhas suspensas, em madeira,  que  proporcionam um quadro único da flora da mata atlântica, bem como exemplares da fauna da região, em especial macacos-prego, que circulam livres pelo local.

Segundo Gisele, a apresentação que fará em Gravatal a área de churrasqueiras coletivas, espaço para piquenique, parque infantil e um restaurante estão entre as atrações do parque, que  cada final de semana, em média, recebe perto de dois mil visitantes.

O Parque Ecológico Maracajá sedia o 2º Pelotão da Polícia Militar de Proteção Ambiental, aproveitando a estratégica localização para atender toda região sul e, em 2018, deve ganhar novos equipamentos, como rota de arvorismo, tirolesa, pista de caminhada de cinco quilômetros no entorno do equipamento, entre outras atrações, segundo revela o secretário de Turismo e Meio Ambiente, Antenor Rocha, que também participa do evento em Gravatal nesta terça-feira.


04/12/2017 20:00

‘Praia Limpa’ retira lixo e entulhos de orla


A manhã de sábado, foi de mobilização em prol do meio ambiente. Muitas pessoas participaram do mutirão ‘Praia Limpa’ em Balneário Arroio do Silva. A ação foi realizada pela prefeitura que mobilizou todas as secretarias municipais, além de contar com o importante envolvimento da comunidade.

Os participantes se reuniram às 7h da manhã na praça central e foram divididos em dois grandes grupos que realizaram a retirada de lixo e entulhos ao longo da orla nos lados sul e norte. No percurso foram encontrados muitos restos de construção, além de madeira, garrafas, latas, plásticos e até mesmo móveis.

A iniciativa foi promovida com o intuito de retirar da natureza o que não pertence à ela, bem como despertar a conscientização ambiental. “Ações como esta são importantes para conscientizar as pessoas. Acho que cada um tem que fazer a sua parte. Quem suja tem também que limpar, tem que ter consciência disso”, ressaltou Aderilde Madalena, que mora no bairro Jardim Atlântico e foi uma das primeiras a chegar no mutirão, fazendo questão de contribuir com o meio ambiente.

Durante a ação, a secretaria de obras deu suporte com água, sacos para lixo, protetor solar e caminhões que acompanharam para retirar os entulhos maiores. O mutirão foi considerado um sucesso pela grande mobilização que contou, inclusive, com a participação dos jovens protetores ambientais do município.

“Agradecemos cada um que se mobilizou e esteve presente no mutirão. Reforçamos que o lixo deve ser jogado no lixo, não no chão e muito menos na beira da praia. Precisamos fazer a nossa parte”, frisou o prefeito Juscelino da Silva Guimarães, o Mineiro.

Novos mutirões deverão ser realizados pela Administração Municipal em parceria com as comunidades interessadas que não foram beneficiadas com esta ação. Nesta temporada um maior número de lixeiras serão distribuídas ao longo da orla.

 


04/12/2017 16:00

Plantas protegem trechos da Rocinha da erosão


Os taludes resultantes das obras de implantação e pavimentação da BR-285/RS/SC devem ser estabilizados de maneira eficiente para evitar a erosão e possíveis escorregamentos. Atualmente, as principais medidas de proteção realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) no segmento catarinense, em Timbé do Sul, são o tratamento das superfícies com cobertura vegetal e a instalação de dispositivos de drenagem das águas pluviais. A equipe de supervisão ambiental (STE S.A.) monitora todo o processo por meio do Programa de Monitoramento e Controle de Processos Erosivos e de Contenção de Instabilidades de Encostas e Taludes e do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas e Passivos Ambientais.

Os taludes podem ser de corte e de aterro. Os de corte se formam quando as encostas são escavadas ou detonadas, já os de aterro são oriundos da deposição de material. No trecho de serra, o Consórcio responsável pelas obras executa a revegetação dos taludes já conformados através da hidrossemeadura nos cortes, técnica que se vale da aplicação de uma solução com sementes, insumos e outros aditivos. Lançada por um jato de alta pressão, essa massa forma uma camada que, além de fixar as sementes e demais componentes, funciona como um escudo contra a ação das intempéries. Já nos taludes de aterro a previsão é o uso de placas de grama.

Técnicos da Gestora Ambiental atuam de forma a constatar eventuais processos erosivos em taludes sem tratamento, bem como o monitoramento daqueles que receberam medidas de proteção. Segundo o especialista ambiental Francisco Feiten, “as atividades de estabilização dos taludes devem ocorrer tão logo os mesmos estejam conformados, visando minimizar impactos negativos ocasionados, principalmente, pela chuva e pelo escoamento superficial das águas.”

Em alguns pontos suscetíveis à erosão está sendo realizada a contenção da encosta por meio de muros de pedra arrumada, método que aproveita o material rochoso proveniente das escavações. Já a execução da drenagem superficial ocorre tanto na serra quanto no contorno de Timbé do Sul, com destaque para instalação de valetas de proteção de corte e o seu respectivo enleivamento com placas de grama. Há ainda outros dispositivos como sarjetas, dissipadores de energia e descidas d’água que complementam o sistema de drenagem superficial. O objetivo dos mesmos é interceptar e conduzir as águas de forma a resguardar a segurança e a estabilidade da rodovia.

Carregar mais

Mapa de Editorias