Religião

16/02/2018 18:00

Bispo fala sobre Quaresma


Teve início oficialmente na noite de quarta-feira de cinzas, a Campanha da Fraternidade na Diocese de Criciúma, com a missa presidida pelo bispo diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, na Catedral São José. A celebração eucarística com bênção e imposição das cinzas lotou a igreja, com a tradição dos fiéis de participar do momento que marca o início do tempo quaresmal.
“Onde estamos, podemos ser portadores da paz que vem de Cristo, que traz alegria e esperança aos corações e a nossa sociedade. A CF deste ano está preparando o tema que continuará a ser refletido no ano que vem, sobre a gestão pública”, informou o bispo durante a celebração.

Ao receberem as cinzas sobre a fronte, os fiéis foram orientados pelo bispo: “Essa conversão não é um dia só da Quaresma, é durante toda a nossa vida. Nós temos uma grande missão, que é sempre converter para Jesus Cristo. “, declarou Dom Jacinto. A assembleia foi convidada a viver o tempo quaresmal com as práticas do jejum, da penitência, da oração e da caridade. “Fazer jejum não só de carne; não cometer exageros e fazer propósitos; ser mais paciente em casa e tolerante no trânsito”, indicou o bispo, que revelou alguns de seus propósitos e jejuns durante este tempo, como exemplo para outros.


16/02/2018 08:00

United Summer promove noite de louvor


A Igreja Batista de Sombrio realiza neste sábado, o 5º United Summer, um encontro voltado principalmente à juventude, com apresentações musicais, de teatro e orações.

O evento acontece desde a primeira edição, no final de semana seguinte ao carnaval, para servir como uma “limpeza do céu de Sombrio”, dizem dois dos organizadores. Bruno Santos e Fernando Zeferino alegam que durante os dias de folia, acontecem várias situações que desagradam Cristo, como o uso de drogas e álcool e a prostituição, daí a importância de dedicar uma noite ao seu louvor. “Também é uma forma de unir as igrejas evangélicas”, afirma Bruno. Algumas delas participam com bandas que vão animar o público com todo tipo de ritmo e som, sempre falando de Deus e fé. “Todos os cristãos são convidados a vir conosco, mesmo que sejam de outras denominações religiosas”, convida Fernando.

O United Summer é gratuito, acontece na arena aberta, ao lado do ginásio de esportes municipal Rogério Valerim, a partir das 19h30min.

A média de público em anos anteriores é de mil pessoas, e a expectativa é de atrair amanhã ainda mais gente. Para facilitar a vida dos pais, haverá brinquedos para as crianças, praça de alimentação no local e a rua estará fechada ao trânsito, garantindo a segurança dos participantes.

A Rádio 93.3 FM e o Jornal Correio do Sul são parceiros do evento. A emissora vai transmitir todo o United Summer ao vivo pelo rádio e através do Facebook.

 


14/02/2018 14:00

Jovens trocam a folia pela fé


Cerca de 200 jovens católicos mais uma vez trocaram a folia e as festas pela oração e a fé. Vindos de diversos municípios da região, eles participaram do retiro espiritual Alegra-te, que acontece há 15 anos, a maioria deles, em Sombrio.

Coordenador da organização deste grande encontro, Mateus Vargas da Silva estava satisfeito com o resultado. “É muita luta para deixar tudo pronto, mas valeu a pena, tivemos um recorde de participantes este ano”, comemorou.

O retiro surgiu da iniciativa do movimento denominado Renovação Carismática, e segundo Mateus, recebe o apoio de todos os envolvidos com as paróquias. “Tudo é voltado a Igreja, e o objetivo é a evangelização da juventude, é um trabalho de formiguinha, que avança aos poucos, mas recompensador”, disse o coordenador.

Para Pedro Paulo Medeiros, de 17 anos, o Alegra-te proporciona um tipo de felicidade diferente daquela experimentada em uma festa comum. “O que eu sinto aqui é paz, e a vontade de ser melhor”, explicou o jovem, que acompanhava com entusiasmo as coreografias durante os cantos e as orações.

Em outra frente, mas com a mesma fé, cerca de 100 adultos auxiliaram a organização, cuidando da limpeza e da alimentação de todo o grupo. Lucir Rocha estava na equipe que trabalhou na cozinha, ao lado de outras dez pessoas. Elas se dedicaram a preparar refeições suficientes para saciar a fome de um batalhão de adolescentes. “É cansativo, mesmo assim a gente faz com prazer”, afirmou Lucir na primeira noite, enquanto ajudava a fazer 20 quilos de macarrão. Afinal, para que a alma possa ser alimentada com a fé, é preciso fortalecer o corpo com o pão.

O Alegra-te teve início na tarde de sábado, no colégio Iemes de Sombrio, e se estendeu até ao meio de terça.

 


14/02/2018 08:00

Encontro debate campanha católica


Aconteceu em Turvo, neste fim de semana, mais uma edição do estudo diocesano, momento em que lideranças paroquiais se reúnem para falar sobre as ações da Campanha da Fraternidade, iniciativa nacional e promovida pela igreja católica todos os anos. O tema de 2018 vem muito a calhar com a situação da segurança pública nacional atualmente: a violência. Segundo o pároco da paróquia de Turvo, Frei José Rosa Alves, os índices na região do extremo Sul catarinense não são tão alarmantes quanto em outros lugares, porém, está em todos os setores da sociedade. “Aqui no sul não há tanta violência quanto em outras regiões, mas existe. A violência está entre os jovens, nas famílias. Na igreja ela também existe, como quando uma liderança toma posse de alguma pastoral e pode causar desconforto até com palavras em outras pessoas. Em todos os ambientes nós temos violência em diferentes setores”, comenta. Sobre o dia de estudos, o religioso diz que ajuda a organizar as ações praticadas sobre o tema, que é ‘Fraternidade e a Não Violência’. “É o ver, julgar e agir. Nós vemos os focos de violência, e abordamos planos de ação. O tema é muito importante, muito amplo e creio que nos ajudará a refletir”, completa. Dom Jacinto Inácio Flach, bispo da Diocese, esteve no evento e comentou que a violência não é algo fácil de combater. “Já criou-se a cultura da violência na nossa sociedade. Somos irmãos, e como os irmãos matam uns aos outros? Precisamos voltar a olhar para Jesus Cristo”, defende. Sobre a culpa dos números serem tão altos acerca da violência no Brasil, o bispo diz que ela é de cada um. “Cada um tem que se olhar. Será que transmito algo que alimenta a violência, no meu município, na minha casa? Todos nós temos atitudes que podem ser violentas. Por isso, a igreja está se preocupando com isso, por que nosso país está se tornando um campeão da violência. Temos quase 60 mil mortes por ano”, conta. Após o encontro, cada liderança retorna à sua pastoral e fala sobre o que foi debatido, de modo que o combate à violência vira uma ação em cadeia dentro das casas dos fiéis, com novenas e reuniões sobre o tema.

Carregar mais

Mapa de Editorias