Religião

18/07/2018 15:00

Comunidade São Camilo de Léllis festeja padroeiro com doações de sangue

Comunidade pretende realizar mais ações em prol dos enfermos


Fé e caridade caminhando de mãos dadas. Assim pode se caracterizar o gesto concreto assumido pela Comunidade São Camilo de Léllis, de Sombrio, que nos últimos dias venerou seu Padroeiro. Com 32 anos de história e 38 famílias católicas, a pequena comunidade, atendida pela Paróquia São João Paulo II, decidiu celebrar de forma diferente a festa do Santo, lembrado pela Igreja no dia 14 de julho.
“São Camilo é protetor dos doentes, hospitais e profissionais da saúde. São Camilo se faz presente na vida de seus devotos. E seus devotos, de forma tão terna, em momento de profunda conexão com Deus, movidos pela fé, além de agradecer por um rol infinito de graças alcançadas por seu intermédio, assumem o voto de assistência aos enfermos e aos atribulados, que foi a paixão ardente da vida do Santo. Neste ano, a comunidade resolveu fazer um convite aos seus devotos para que as festividades também fossem marcadas por um gesto concreto de amor ao próximo, através da doação de sangue. A mobilização aconteceu durante os dias da novena em honra a São Camilo, que sempre acontecem antes da festa do Padroeiro. Para a surpresa da comunidade, muitas pessoas de outras localidades, muitos jovens e até mesmo de outras religiões, se uniram nesta ação, de mobilização para a doação de sangue”, relatou a membro da comunidade, Giseli Garcia Barbosa.
A ação ocorreu na semana passada, nos dias 12 e 13, e levou mais de 45 doadores de sangue ao Hemocentro Regional de Criciúma – Hemosc, através de um gesto de amor ao próximo. “Considerando que uma única bolsa de sangue doada pode salvar a vida de quatro pessoas, já que o sangue doado é fracionado em componentes sanguíneos (hemácias, plasma, plaquetas e crioprecipitado), pode, ainda, salvar até dez crianças, pois uma bolsa de sangue pode ser dividida de acordo com a necessidade do paciente. Com certeza, o grupo conseguiu ajudar a salvar muitas vidas. Não há dúvidas de que o espírito de fé que vê, em cada doente, a pessoa adorável de Jesus Cristo, é esse mesmo espírito que move essa comunidade que tanto ama os que mais sofrem. Nossa principal graça é viver em comunidade, sabendo que se tem um padrinho no céu que transforma cada um de nós em pessoas melhores, verdadeiros bons samaritanos dos tempos modernos”, declarou Giseli.

Comunidade pretende realizar mais ações em prol dos enfermos

Além do amor aos doentes, a leiga destaca outras iniciativas importantes da comunidade, como a distribuição de ervas medicinais e de bolos caseiros durante a novena, permeada por fortes momentos de espiritualidade. “A Comunidade já vem inovando, de anos anteriores, através do almoço do dia da festa, deixando livre, pela consciência de cada pessoa, para que contribua com o valor que achar justo pelo seu almoço. E as ideias não param de nascer: planeja-se, para os próximos anos, além da mobilização para a doação de sangue e plaquetas, futuras doações de fios de cabelos às pessoas que fazem quimioterapia, o uso da tecnologia para auxiliar na doação/ empréstimo de cadeiras de rodas, andadores, muletas e outros equipamentos que possam melhorar a qualidade de vida dos doentes, além de uma horta comunitária com ervas medicinais. A expressão de São Camilo continua a ressoar em nossos ouvidos: ‘Assistir aos enfermos com carinho de uma mãe para com seu filho doente’. Não se pode traduzir melhor o amor, socorro, alívio e o amparo aos que sofrem”, ressalta a leiga.


09/07/2018 15:00

Sagrada Família celebra São Cristóvão

Ponto alto da festa ocorreu neste fim de semana


A Paróquia Sagrada Família, em Araranguá, celebrou a festa de seu padroeiro neste fim de semana, nos dias 07 e 08 – a 39ª festa em honra a São Cristóvão, padroeiro dos motoristas. As festividades iniciaram no dia 25 do mês passado, com missas nas empresas, todas as noites, que aconteceram até o dia 29. De 1º a 06 de julho, a Paróquia viveu a Semana do Avivamento, com caravanas partindo das comunidades, celebrações de missa e também a parte recreativa e social, com serviços de alimentação na praça.
O ponto alto da festa ocorreu neste fim de semana, com transladações da imagem do Padroeiro pelas ruas de Araranguá e caravanas com motoristas e agricultores. No dia 08, domingo, às 10 horas, a missa Missa Festiva em Honra a São Cristóvão e Caravana do Agricultor, com bênção sobre as sementes, foi conduzida pelo pároco, padre Daniel Zilli. À tarde, às 15 horas, quem presidiu a celebração eucarística foi o Bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach, que deu uma bênção especial sobre as famílias.
A festa religiosa encerrou com a apresentação musical do padre Ezequiel Dal Pozzo e o sorteio das premiações da ação entre amigos em honra a São Cristóvão


03/07/2018 18:00

Paróquia Sagrada Família realiza Encontro de Corais

Evento acontece hoje


Desde a última semana, a Paróquia Sagrada Família, de Araranguá, está com uma extensa programação em alusão a 39 ª Festa de São Cristóvão, padroeira da comunidade de Cidade Alta. Entre as diversas inovações, está a realização da I Noite do Canto Coral.
O evento acontece nesta terça-feira, dia 3, após a missa presidida pelo padre José Cipriano às 19h30min, na própria Igreja Matriz. O ato cultural-religioso terá a participação de corais da região, contou o organizador do evento, Jair Anastácio. “Teremos a participação de seis corais, alguns de Araranguá, outros de Criciúma, Sombrio, será uma noite muito bonita”, disse.

O Canto Coral
O Canto Coral é uma arte milenar e o Cristianismo teve e tem forte influência na expansão e manutenção desta arte. As Igrejas sempre foram os locais ideais para a harmonização do canto a quatro vozes.
Conheça os corais que irão se apresentar:
Associação Coral de Araranguá;
Associação Coral São Pedro de Coloninha – Araranguá;
Associação Coral do Balneário Arroio do Silva;
Associação Coral São José de Criciúma;
Associação Coral do Grupo Eliane – Criciúma;
Associação Coral de Sombrio.


29/06/2018 16:00

Comunidade comemora 100 anos de capela

Comunidade de Peroba, em Santa Rosa do Sul, comemora neste fim de semana o centenário de sua capela


A comunidade de Peroba, em Santa Rosa do Sul, comemora neste fim de semana o centenário de sua capela, e a festa religiosa vai se unir a um projeto cultural centrado na Casa da Memória, organizado pelo Museu do Instituto Federal Catarinense, Campus Santa Rosa do Sul e coordenado pela professora Jaqueline Gallina,
A Casa, montada em um imóvel local, abre nesta sexta-feira, dia 29, com exposição de objetos, mostra fotográfica e documentário roda de conversa e permanece aberta até o domingo, dia 1º de julho. Os moradores contribuíram disponibilizando utensílios antigos, relatando histórias e ajudando a recuperar a memória da localidade.
De acordo com o livro Paróquia de Sombrio, do padre Raulino Reitz, a primeira festa, feita em 29 de junho de 1918, marca o início da capela da Peroba. Manoel Generoso Teixeira, Pedro Manoel Generoso Tomaz Teixeira e alguns outros, foram os incentivadores da construção da capela, sendo eles os três membros da primeira comissão. Era então uma pequena construção de madeira, depois substituída por outra maior e mais bela.
O padroeiro da comunidade é São Pedro. Joaquim João Martins adquiriu, em 1919, a imagem do padroeiro, em Caxias do Sul.
O sino foi adquirido em 1927, antes havia um outro, pequeno, com uns cinco quilos de peso, que ao chegar o novo foi emprestado a capela da Sanga da Areia.
São fatos de uma localidade que com orgulho agora os resgata, ciente de que é verdadeiro o ditado de quem povo sem passado, é povo sem futuro.

Carregar mais

Mapa de Editorias