Emprego

06/03/2018 20:00

Perda anual com acidentes e doenças do trabalho chega a R$ 264 bi


De 2012 até 2017, cerca de 15 mil trabalhadores não voltaram para casa, no Brasil, entrando para a estatística de vítimas de acidentes de trabalho fatais. “Além da perda de mais de 15 mil vidas humanas, são 2.500 famílias que ficam órfãs a cada ano devido à negligência de empregadores que não consideram o trabalho seguro como condição para o trabalho digno”, alertou o procurador-geral do Ministério Público do Trabalho (MPT), Ronaldo Fleury, durante apresentação dos números atualizados do Observatório Digital de Saúde e Segurança do Trabalho (observatoriosst.mpt.mp.br/), na manhã desta segunda-feira.

No mesmo período, foram quase 4 milhões de acidentes e doenças do trabalho, gerando um gasto maior que R$ 26 bilhões somente com despesas previdenciárias e 315 milhões de dias de trabalho perdidos. “Estima-se que o país perde R$ 264 bilhões, anualmente, com acidentes e doenças do trabalho, o que corresponde a 4% do Produto Interno Bruto”, revela o procurador do Trabalho Luís Fabiano de Assis, responsável pelo observatório.

No ranking geral, os estados de São Paulo (37%) e de Minas Gerais (10%) lideram as Comunicações de Acidentes de Trabalho (CATs), e os gastos com afastamentos previdenciários são maiores em São Paulo (23,34%) e em Santa Catarina (10,11%).


05/03/2018 20:00

Tempo médio de desemprego é de um ano e dois meses


Ainda que o cenário de recessão econômica esteja finalmente no fim, com a maioria dos indicadores mostrando melhora, o número de brasileiros à espera de uma oportunidade de emprego ainda é alto e acumulava 12,3 milhões de pessoas ao final de 2017. A pesquisa ‘O desemprego e a busca por recolocação profissional no Brasil’, realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) em todas as capitais mostra que o tempo médio de desemprego já chega a 14 meses entre os entrevistados, maior do que o observado em 2016, quando girava em torno de 12 meses.

Segundo o levantamento, dentre aqueles que já tiveram algum emprego antes, 67% já haviam ficado desempregados anteriormente e 32% nunca haviam passado por esta situação. Mais da metade (57%) conhecem alguma outra pessoa que também está desempregada ou que teve de fechar sua empresa nos últimos três meses.


11/02/2018 12:00

As 20 perguntas mais comuns na entrevista de emprego


Muitas das perguntas feitas nas entrevistas de emprego parecem uma espécie de clichê. Não importa o ramo de atuação, perfil da empresa ou da vaga disponível, o selecionador sempre vai recorrer a algumas questões-chave para conhecer você melhor e avaliar se os seus valores estão alinhados aos da organização.
Algumas recomendações, todavia, são importantes e podem ajudá-lo na hora do contato com o selecionador, quando a ansiedade e o nervosismo resolvem aparecer, todo o cuidado é pouco, já que até o seu corpo pode entregar as suas fraquezas.
Ouvimos o coach executivo Carlos Cruz e o consultor organizacional Eduardo Shinyashiki a respeito. Da entrevista surgiram as 20 perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego e dicas de como você pode respondê-las para se dar bem em um processo de seleção. Confira:
#1 “FALE SOBRE VOCÊ”
Não existe regra. Cada entrevistador tem uma expectativa. No geral, o selecionador quer saber mais sobre a formação acadêmica do candidato, o que ele gosta de fazer (hobby), seus sonhos e expectativas. A orientação é direcionar o discurso para o âmbito profissional.
#2 “QUAIS SÃO SEUS OBJETIVOS A CURTO PRAZO?”
O candidato tem de pensar qual é o seu objetivo antes da entrevista. Só assim vai saber se determinada oportunidade de emprego é interessante para ele. É necessário que o profissional “entreviste” também a empresa e averigue se a proposta é significante para sua carreira.
#3 “QUAIS SÃO SEUS OBJETIVOS A LONGO PRAZO?”
Como em uma relação a dois, é primordial que a pessoa deixe claro quais são seus anseios na vida profissional. Para isso, é preciso ter clareza. O erro da maioria dos candidatos é a passividade, isto é, aceitar uma proposta sem saber o que é relevante para sua trajetória profissional.
#4 “COMO VOCÊ LIDA COM AS PRESSÕES DO TRABALHO?”
O candidato deve dar exemplos vivenciados por ele. Isso vai dar consistência à resposta e segurança para o entrevistador enxergar que o profissional tem potencial para ocupar determinada posição.
#5 “POR QUE ACHA QUE DEVEMOS CONTRATÁ-LO?”
Dizer que você tem sede de aprender, de crescer profissionalmente e de contribuir com a empresa não são respostas satisfatórias. O candidato deve expor como pode colaborar com o desenvolvimento da organização.
#6 “COMO VOCÊ PODERÁ CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DA EMPRESA?” 
O entrevistado deve se fazer essa pergunta antes de ser questionado. Quais as expectativas da empresa com relação ao profissional que vai ocupar a vaga disponível? Se isso não estiver claro, o candidato deve questionar o selecionador.
#7 “QUAIS FORAM SUAS MAIORES REALIZAÇÕES PROFISSIONAIS?” 
Cite até três exemplos. Procure falar sobre as realizações mais relevantes em sua vida profissional que estejam atreladas às expectativas ou ao negócio da empresa. “Nessa hora o profissional deve ser marqueteiro, ou seja, elencar o que tem de melhor e dizer sem receios”, destaca o consultor Carlos Cruz.
#8 “QUAIS SÃO SEUS PONTOS FORTES?”
O candidato deve listar suas principais características e eleger o que considera ser atributos de um talento. Pergunte-se: o que os seus colegas de trabalho diriam positivamente de você? Pense em sua rotina profissional e escolha as qualidades que mais o definam no trabalho.
#9 “QUAIS SÃO OS SEUS PONTOS A DESENVOLVER?”
Cite um exemplo e foque no que você está fazendo para superar a dificuldade. Não dê ênfase ao seu ponto fraco.
#10 “QUAL É O SEU MAIOR SONHO?”
Para responder a essa pergunta o candidato deve saber exatamente o que quer. Quanto mais autêntico ele for, maior será a probabilidade de encontrar uma empresa alinhada ao seu perfil.
#11 “POR QUAL MOTIVO VOCÊ SAIU DA EMPRESA ANTERIOR?”
Diga que está em busca de crescimento profissional e melhores oportunidades de carreira.
#12 “POR QUE FICOU POUCO TEMPO NOS EMPREGO ANTERIORES?”
Justifique afirmando que busca acima de tudo uma empresa que investe nos funcionários, valoriza o seu trabalho e dá oportunidades de crescimento.
#13 “POR QUE ESTÁ HÁ TANTO TEMPO NO EMPREGO ATUAL?”
Você pode dizer que a empresa atual possui valores compatíveis com os seus e o valoriza enquanto funcionário. Explique que no momento quer alcançar outros objetivos e ganhar experiência em empresas diferentes.
#14 “VOCÊ JÁ RECEBEU CRÍTICAS SOBRE SEU TRABALHO? COMO REAGIU?”
Segundo o consultor Eduardo Shinyashiki, críticas são sempre bem-vindas, pois ajuda o profissional a perceber os erros para não cometê-los novamente. Ele orienta o candidato a responder que o feedback é essencial para o crescimento profissional.
#15 “O QUE VOCÊ CONSIDERA IMPORTANTE EM UMA EMPRESA?”
Responda com palavras que estejam ligadas aos seus valores pessoais. Exemplos: organização, seriedade, valores profissionais e sociais, conforto para trabalhar e um quadro de funcionários estável.
#16 “COMO VOCÊ SE COMPORTA NO TRABALHO?”
Diga o que as empresas gostam de ouvir, desde que seja verdade, é claro. Exemplo: sou pontual, dedicado, comprometido, responsável, criativo, dinâmico, eficaz, flexível e sei trabalhar em equipe.
#17 “COM QUE TIPO DE PESSOA VOCÊ PREFERE TRABALHAR?”
Pense em características pessoais valorizadas pelas empresas. Você pode dizer que gosta de trabalhar com pessoas comprometidas, responsáveis e que tenham espírito de equipe.
#18 “COM QUE TIPO DE PESSOA VOCÊ ENCONTRA DIFICULDADE EM TRABALHAR?”
Pense em características que firam o clima da organização e acabam influenciando negativamente o rendimento no trabalho. Exemplo: pessoas arrogantes, impacientes e sem espírito de equipe.
#19 “POR QUE VOCÊ ESCOLHEU ESSA CARREIRA?”
Diga que você se identifica com a área, dedica-se a ela e sente prazer no que faz.
#20 “COMO VOCÊ SE COMPORTA QUANDO ALGO NÃO SAI COMO PLANEJOU?”
Nessas horas, o importante é manter a calma e tentar reverter a situação de outra  maneira para atingir o objetivo. Se você age dessa forma esta é uma resposta convincente.

04/12/2017 08:00

Workshop sobre orientação profissional é realizado no Arroio


O Sine de Balneário Arroio do Silva buscou parceria com o Senac de Araranguá e oportunizou um workshop sobre elaboração de currículo e orientação profissional. A capacitação aconteceu no auditório da saúde e reuniu dezenas de pessoas interessadas.

Durante a tarde foram repassadas dicas importantes e que fazem a diferença para quem tem o interesse em entrar no mercado de trabalho. As dicas e as orientações foram repassadas pelo coordenador do Senac de Araranguá, Aislan Hainzenreder.

Em Arroio do Silva o Sine fica localizado na lateral da prefeitura e oferece diversos serviços, entre eles: seguro desemprego, procura de vagas e cadastramento dos trabalhadores. Maiores informações podem ser obtidas através do telefone (48) 3526 1535.

 

Carregar mais

Mapa de Editorias