Emprego

11/02/2018 12:00

As 20 perguntas mais comuns na entrevista de emprego


Muitas das perguntas feitas nas entrevistas de emprego parecem uma espécie de clichê. Não importa o ramo de atuação, perfil da empresa ou da vaga disponível, o selecionador sempre vai recorrer a algumas questões-chave para conhecer você melhor e avaliar se os seus valores estão alinhados aos da organização.
Algumas recomendações, todavia, são importantes e podem ajudá-lo na hora do contato com o selecionador, quando a ansiedade e o nervosismo resolvem aparecer, todo o cuidado é pouco, já que até o seu corpo pode entregar as suas fraquezas.
Ouvimos o coach executivo Carlos Cruz e o consultor organizacional Eduardo Shinyashiki a respeito. Da entrevista surgiram as 20 perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego e dicas de como você pode respondê-las para se dar bem em um processo de seleção. Confira:
#1 “FALE SOBRE VOCÊ”
Não existe regra. Cada entrevistador tem uma expectativa. No geral, o selecionador quer saber mais sobre a formação acadêmica do candidato, o que ele gosta de fazer (hobby), seus sonhos e expectativas. A orientação é direcionar o discurso para o âmbito profissional.
#2 “QUAIS SÃO SEUS OBJETIVOS A CURTO PRAZO?”
O candidato tem de pensar qual é o seu objetivo antes da entrevista. Só assim vai saber se determinada oportunidade de emprego é interessante para ele. É necessário que o profissional “entreviste” também a empresa e averigue se a proposta é significante para sua carreira.
#3 “QUAIS SÃO SEUS OBJETIVOS A LONGO PRAZO?”
Como em uma relação a dois, é primordial que a pessoa deixe claro quais são seus anseios na vida profissional. Para isso, é preciso ter clareza. O erro da maioria dos candidatos é a passividade, isto é, aceitar uma proposta sem saber o que é relevante para sua trajetória profissional.
#4 “COMO VOCÊ LIDA COM AS PRESSÕES DO TRABALHO?”
O candidato deve dar exemplos vivenciados por ele. Isso vai dar consistência à resposta e segurança para o entrevistador enxergar que o profissional tem potencial para ocupar determinada posição.
#5 “POR QUE ACHA QUE DEVEMOS CONTRATÁ-LO?”
Dizer que você tem sede de aprender, de crescer profissionalmente e de contribuir com a empresa não são respostas satisfatórias. O candidato deve expor como pode colaborar com o desenvolvimento da organização.
#6 “COMO VOCÊ PODERÁ CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO E CRESCIMENTO DA EMPRESA?” 
O entrevistado deve se fazer essa pergunta antes de ser questionado. Quais as expectativas da empresa com relação ao profissional que vai ocupar a vaga disponível? Se isso não estiver claro, o candidato deve questionar o selecionador.
#7 “QUAIS FORAM SUAS MAIORES REALIZAÇÕES PROFISSIONAIS?” 
Cite até três exemplos. Procure falar sobre as realizações mais relevantes em sua vida profissional que estejam atreladas às expectativas ou ao negócio da empresa. “Nessa hora o profissional deve ser marqueteiro, ou seja, elencar o que tem de melhor e dizer sem receios”, destaca o consultor Carlos Cruz.
#8 “QUAIS SÃO SEUS PONTOS FORTES?”
O candidato deve listar suas principais características e eleger o que considera ser atributos de um talento. Pergunte-se: o que os seus colegas de trabalho diriam positivamente de você? Pense em sua rotina profissional e escolha as qualidades que mais o definam no trabalho.
#9 “QUAIS SÃO OS SEUS PONTOS A DESENVOLVER?”
Cite um exemplo e foque no que você está fazendo para superar a dificuldade. Não dê ênfase ao seu ponto fraco.
#10 “QUAL É O SEU MAIOR SONHO?”
Para responder a essa pergunta o candidato deve saber exatamente o que quer. Quanto mais autêntico ele for, maior será a probabilidade de encontrar uma empresa alinhada ao seu perfil.
#11 “POR QUAL MOTIVO VOCÊ SAIU DA EMPRESA ANTERIOR?”
Diga que está em busca de crescimento profissional e melhores oportunidades de carreira.
#12 “POR QUE FICOU POUCO TEMPO NOS EMPREGO ANTERIORES?”
Justifique afirmando que busca acima de tudo uma empresa que investe nos funcionários, valoriza o seu trabalho e dá oportunidades de crescimento.
#13 “POR QUE ESTÁ HÁ TANTO TEMPO NO EMPREGO ATUAL?”
Você pode dizer que a empresa atual possui valores compatíveis com os seus e o valoriza enquanto funcionário. Explique que no momento quer alcançar outros objetivos e ganhar experiência em empresas diferentes.
#14 “VOCÊ JÁ RECEBEU CRÍTICAS SOBRE SEU TRABALHO? COMO REAGIU?”
Segundo o consultor Eduardo Shinyashiki, críticas são sempre bem-vindas, pois ajuda o profissional a perceber os erros para não cometê-los novamente. Ele orienta o candidato a responder que o feedback é essencial para o crescimento profissional.
#15 “O QUE VOCÊ CONSIDERA IMPORTANTE EM UMA EMPRESA?”
Responda com palavras que estejam ligadas aos seus valores pessoais. Exemplos: organização, seriedade, valores profissionais e sociais, conforto para trabalhar e um quadro de funcionários estável.
#16 “COMO VOCÊ SE COMPORTA NO TRABALHO?”
Diga o que as empresas gostam de ouvir, desde que seja verdade, é claro. Exemplo: sou pontual, dedicado, comprometido, responsável, criativo, dinâmico, eficaz, flexível e sei trabalhar em equipe.
#17 “COM QUE TIPO DE PESSOA VOCÊ PREFERE TRABALHAR?”
Pense em características pessoais valorizadas pelas empresas. Você pode dizer que gosta de trabalhar com pessoas comprometidas, responsáveis e que tenham espírito de equipe.
#18 “COM QUE TIPO DE PESSOA VOCÊ ENCONTRA DIFICULDADE EM TRABALHAR?”
Pense em características que firam o clima da organização e acabam influenciando negativamente o rendimento no trabalho. Exemplo: pessoas arrogantes, impacientes e sem espírito de equipe.
#19 “POR QUE VOCÊ ESCOLHEU ESSA CARREIRA?”
Diga que você se identifica com a área, dedica-se a ela e sente prazer no que faz.
#20 “COMO VOCÊ SE COMPORTA QUANDO ALGO NÃO SAI COMO PLANEJOU?”
Nessas horas, o importante é manter a calma e tentar reverter a situação de outra  maneira para atingir o objetivo. Se você age dessa forma esta é uma resposta convincente.

04/12/2017 08:00

Workshop sobre orientação profissional é realizado no Arroio


O Sine de Balneário Arroio do Silva buscou parceria com o Senac de Araranguá e oportunizou um workshop sobre elaboração de currículo e orientação profissional. A capacitação aconteceu no auditório da saúde e reuniu dezenas de pessoas interessadas.

Durante a tarde foram repassadas dicas importantes e que fazem a diferença para quem tem o interesse em entrar no mercado de trabalho. As dicas e as orientações foram repassadas pelo coordenador do Senac de Araranguá, Aislan Hainzenreder.

Em Arroio do Silva o Sine fica localizado na lateral da prefeitura e oferece diversos serviços, entre eles: seguro desemprego, procura de vagas e cadastramento dos trabalhadores. Maiores informações podem ser obtidas através do telefone (48) 3526 1535.

 


22/09/2017 05:57

Santa Catarina é o segundo estado no ranking da geração de emprego em agosto


Com um saldo de 6,1 mil vagas criadas com carteira assinada, Santa Catarina ficou em segundo lugar no ranking da geração de emprego em agosto, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, divulgados na tarde desta quinta-feira, 21.

“São números que mostram a retomada da economia. Santa Catarina foi o último Estado a entrar na crise e está sendo o primeiro a sair. São mais de 6 mil catarinenses que passaram a ter carteira assinada, conquistando a independência pelo trabalho. Está valendo a pena lutar”, comemorou o governador Raimundo Colombo.

O saldo catarinense ficou atrás apenas do resultado de São Paulo, que registrou 17,3 mil novas vagas. Em todo o país, o saldo foi de 35,5 mil postos de trabalho gerados com carteira assinada. Os números não consideram ajustes sazonais.

O saldo líquido catarinense de 6.130 vagas em agosto é resultado do registro de 80.420 admitidos contra 74.290 desligamentos. Entre os resultados por setores, destacaram-se a indústria de transformação (2.718 vagas), serviços (1.525), comércio (1.062) e construção civil (845). Entre os municípios, os melhores desempenhos do mês foram de Joinville (1.483), Blumenau (531) e Chapecó (466).

Os resultados de agosto demonstram também uma significativa melhora em relação aos anos anteriores. Em agosto de 2016 a geração foi de 3.014 vagas, menos da metade do resultado de agora, e em agosto de 2015 o desempenhou foi negativo, com saldo de -6.925 vagas.

No acumulado deste ano, considerando o resultado de agosto, o saldo catarinense foi de 27.441 vagas nos oito meses, também confirmando uma evolução expressiva em relação ao ano anterior. Nos primeiros oito meses de 2016, o saldo era de -10.481.

Considerando os últimos 12 meses (entre setembro de 2016 a agosto de 2017), o resultado catarinense continua positivo, com um saldo de 4,9 mil postos com carteira assinada.


13/08/2017 18:00

Pais buscam trabalhos mais flexíveis para ficar com família

Workana aponta que atividade freelance cresceu mais de 181% em 2016 e cerca de 47% dos usuários têm filhos


Trabalhar de casa costuma ser uma opção vantajosa para pais profissionais que, no Brasil, têm apenas 5 dias de licença paternidade – em sua maioria – e buscam uma boa alternativa para ficar mais tempo com a família, sendo uma delas iniciar uma atividade como freelancer. De acordo com a Workana, plataforma de trabalho freelance com atuação em toda a América Latina, a atividade cresceu mais de 181% em 2016 e 47% dos freelancers cadastrados no Brasil têm filhos.

Um deles é Raul Galvão, publicitário que atua como freelance há dois anos. Ele conta que a atividade é uma boa aliada, já que comemora em 2017 seu primeiro Dia dos Pais. “Meu filho nasceu há três meses e, com o dia a dia corrido do trabalho, ser freelancer me ajuda ter flexibilidade de horários. Assim, consigo trabalhar e ter mais tempo com a minha família”, conta Raul.

Segundo o levantamento realizado pela Workana, 34% dos pais contam com ajuda externa para cuidar dos filhos. Guillermo Bracciaforte, cofundador da Workana, aponta que o perfil dos pais vem mudando e refletindo essa transformação no mercado de trabalho. “Cada vez mais temos pais que sentem a necessidade de cuidar dos filhos e dividir igualmente as tarefas com a mulher. Isso se alia à busca dos profissionais pela harmonia entre vida profissional e pessoal e tem um efeito muito positivo, já que um pai que participa mais em casa proporciona mais liberdade para que a mãe também siga com sua carreira profissional”, explica Bracciaforte.

O cofundador da plataforma aponta que essa busca por um trabalho mais flexível colabora para o crescimento da atividade freelance e proporciona aos profissionais novas oportunidades. Dentre os usuários da Workana, cerca de 60% trabalham como freelancer em tempo integral, sem conciliar com outro emprego.

A Workana tem à disposição profissionais de toda a América Latina para desenvolver projetos das mais variadas categorias, além de oferecer oportunidades para profissionais freelancers. Para encontrar, basta acessar o site www.workana.com.

Sobre a Workana

Fundada em 2012, a Workana é um marketplace que conecta freelancers a empresas e possui atuação em toda a América Latina. A plataforma oferece flexibilidade e agilidade na contratação de profissionais para os projetos cadastrados. Com quatro anos de atuação, a empresa já atingiu a marca de 250 mil projetos postados na plataforma e possui, atualmente, mais de 500 mil freelancers cadastrados.

Carregar mais

Mapa de Editorias