Trânsito     14 de março de 2018 07:00
Autor: Marivânia Farias
Sombrio

Empresa mostra estudo do rotativo


A discussão sobre a implantação do estacionamento rotativo em Sombrio, ganhou mais um capítulo nesta terça-feira. Pela manhã, a empresa responsável pelo estudo técnico de viabilidade do negócio, apresentou o resultado coletado até agora. O levantamento foi feito entre dezembro de 2017 e janeiro deste ano, com análise da legislação, da movimentação das ruas e durante três dias, com a observação direta do estacionamento na cidade.

O estudo se deteve a área central, incluindo as três principais avenidas (Nereu Ramos, Getúlio Vargas e Antônio Sant´Helena) as ruas Caetano Lummertz, João José Gimarães, Padre João Reitz e Luiz Inácio da Rosa.

No trabalho de campo, a empresa fez a contagem das vagas existentes, e monitorou como elas são usadas, entre o período das 8 às 18  horas,a cada 60 minutos. Um dos objetivos era perceber quantos carros em média permanecem no mesmo lugar por mais de duas horas, tempo máximo permitido no rotativo. Como exemplo, foi citada a rua Caetano Lummertz, que tem 98 vagas para estacionar, e em 53 houve rodízio de veículos. “Verificamos vários casos em que a vaga foi usada o dia todo pelo mesmo motorista. Isto é antidemocrático”, disse um dos técnicos.

Cada vaga deve utilizar cinco metros e no total foram contabilizadas 797. Algumas precisam ser excluídas do sistema de rotativo, como 5% destinadas a idosos, 2% a pessoas com necessidades especiais, além de outras exigências, como para veículos oficiais (viaturas de polícia, bombeiros e afins). No fim sobram 718 vagas que podem ser tarifadas. Deste cálculo não faz parte um trecho da avenida Getúlio Vargas em frente ao Supermercado Giassi, aonde estão vários estabelecimentos comerciais, como a loja Mattric Kids.

A necessidade de organizar o modo como os veículos vão circular e parar no trânsito foi comprovada pelo dado de que a frota de Sombrio aumentou dez mil em dez anos, passando de 11 mil veículos em 2007 para 21 mil em 2017. “Agora vem a segunda etapa do processo, e por enquanto não discutimos valores a serem cobrados dos motoristas”, afirmou o secretário de Planejamento, Ronaldo Dal Pont.

O prefeito Zênio Cardoso lembrou que a implantação do rotativo exige uma série de medidas anteriores, que estão sendo tomadas, uma delas é a criação do Departamento Municipal de Trânsito. “Essa demora também me angustiava muito, mas não é simples como se pensava. Agora faremos pequenos ajustes, como aproveitar os espaços onde não cabe um carro para destinar as motos. Estamos caminhando passo a passo para fazer a coisa certa, até chegar ao edital de licitação para escolher uma empresa que vai fazer este serviço. Organizar o trânsito é uma grande necessidade de Sombrio”, analisou.

O presidente da Câmara Fabiano Pinho e outros vereadores também assistiram a apresentação.

 

Mapa de Editorias