Polícia     9 de agosto de 2018 13:27
Sombrio

Homem pega mais de 90 anos de prisão

Ele cometeu 14 crimes em pouco mais de um mês e aterrorizou Sombrio


Diego das Neves Oliveira dos Santos, de 28 anos, o criminoso que colocou terror na cidade de Sombrio, recebeu uma condenação histórica de 90 anos de prisão, por crimes de roubo e um crime de estupro ocorridos em 2017. Na época a comunidade de Sombrio ficou apavorada, tendo grande preocupação com as ações de criminalidade de Diego, que é acusado de diversos assaltos e até estupro. Os crimes julgados no mês passado pelo Poder Judiciário da Comarca de Sombrio aconteceram no ano de 2017, na maioria das vezes, com uso de faca.
De acordo com as informações da Policia Civil de Sombrio, o condenado iniciou a sequência de crimes, a partir do dia 08 de agosto de 2017 e após a investigação, foi concluído que ele era autor de 14 crimes no município.

Quais foram os crimes?
Crime 1 – No dia 8 de agosto de 2017, por volta das 22 horas, em uma via pública de Sombrio, Diego rendeu duas mulheres, mediante grave ameaça exercida com emprego de uma faca, e subtraiu das vítimas dois aparelhos de telefone celular, além de R$ 80,00, em espécie, fugindo do local na posse dos bens subtraídos.
Crime 2 – No dia 10 de agosto de 2017, por volta das 22 horas, em via pública, nas imediações do Shopping Outlet Japonês, localizado na avenida Adolfo Tiscoski, Diego e outro homem não identificado nas investigações renderam duas mulheres e um homem, mediante grave ameaça, exercida com emprego de uma faca, e subtraíram das vítimas três aparelhos de telefone celular. Na sequência, Diego e seu comparsa empreenderam fuga do local na posse dos bens subtraídos.
Crime 3 – No dia 11 de agosto de 2017, por volta das 19 horas, em via pública, nas imediações da creche Asies, localizada na rua Santo Antônio, Diego rendeu duas mulheres, mediante grave ameaça exercida com emprego de uma faca, e subtraiu de uma vítima um aparelho de telefone celular, além de R$ 5,00, em espécie.
Crime 4 – No dia 17 de agosto de 2017, por volta das 18 horas, em via pública, na rua Doutor Antônio Bottini, Diego rendeu duas mulheres, mediante grave ameaça, exercida com emprego de uma faca, e subtraiu de uma das vítimas um aparelho de telefone celular.
Crime 5 – No dia 17 de agosto de 2017, por volta das 21h30min, em via pública, nas imediações do Colégio CAIC, situado na rua Telegrafista Adolfo Coelho, Diego rendeu uma mulher, mediante grave ameaça, exercida com emprego de uma faca, e subtraiu da vítima um aparelho de telefone celular, em ato continuo, o marginal conduziu a mulher até um matagal próximo ao Colégio CAIC e, empunhando uma faca e sob ameaças de que também portava uma arma de fogo, constrangeu a vítima a ter conjunção carnal com ele, dizendo que a mataria caso não aceitasse. O mesmo abusou a mulher e depois empreendeu fuga do local, na posse do celular subtraído
Crime 6 – No dia 15 de agosto de 2017, por volta das 23h30min, em via pública, na avenida Papa João XXIII, Diego, junto de um comparsa não identificado, rendeu um homem e mediante grave ameaça exercida com emprego de uma faca, subtraiu da vítima um aparelho de telefone celular, fugindo do local.
Crime 7 – No dia 19 de agosto de 2017, por volta das 22 horas, em via pública, na rua Máximo Rodrigues da Silva, Diego entrou pela porta do motorista no veículo de uma mulher, que estava na direção do automóvel e a rendeu, mediante grave ameaça exercida com emprego de uma faca, subtraindo da vítima um aparelho de telefone celular. Na sequência o criminoso empreendeu fuga do local a pé.
Crime 8 – No dia 24 de agosto de 2017, por volta das 23 horas, em via pública, na avenida Nereu Ramos, Diego rendeu três homens e mediante grave ameaça exercida com emprego de uma faca, e subtraiu das vítimas dois aparelhos de telefone celular, fugindo do local.
Crime 9 – No dia 28 de agosto de 2017, por volta das 22h30min, em via pública, na Travessa Manoel Elias Oliveira, Diego rendeu um jovem e mediante grave ameaça exercida com uma faca, subtraiu da vítima um aparelho de telefone celular.
Crime 10 – No dia 28 de agosto de 2017, por volta das 23 horas, em via pública, nas imediações da Escola Jovem, situada na rua Manoel Elias Oliveira, Diego rendeu duas jovens, mediante grave ameaça, exercida com emprego de uma faca, e subtraiu de uma das vítimas um aparelho de telefone celular, fugindo do local na posse do bem subtraído.
Crime 11 – No dia 30 de agosto de 2017, por volta das 6h30min, em via pública, entre as ruas Demétrio Coelho e Breno Cardoso, Diego rendeu uma mulher, onde mediante simulação de porte de arma de fogo, subtraiu da vítima um aparelho de telefone celular, fugindo do local na posse do bem subtraído
Crime 12 – No dia 1º de setembro de 2017, por volta das 12h30min, em via pública, na rua Jose Pereira dos Santos, Diego rendeu um homem, mediante grave ameaça, exercida com emprego de uma faca, e subtraiu da vítima R$ 30,00, em espécie, fugindo do local na posse do numerário subtraído.
Crime 13 – No 1º de setembro de 2017, por volta das 21 horas, na rua Telegrafista Adolfo Coelho, no Centro, Diego furtou um veículo GM/Corsa Wind, que estava estacionado em via pública. No mesmo dia, aproximadamente 0h30min, a guarnição da Polícia Militar localizou o citado automóvel abandonado às margens da BR-101, em Sombrio
Crime 14 – No dia 1º de setembro de 2017, por volta das 23h30min, em via pública, nas imediações da Igreja Assembleia de Deus, situada na rua Alberto Santos, Diego rendeu uma mulher, mediante grave ameaça e violência e subtraiu da vítima um aparelho de telefone celular. Ainda, segundo as investigações, quando Diego se aproximou da vítima, com uma faca em punho e anunciou o assalto, a vítima tentou se desvencilhar da ação do bandido ele então puxou pelos cabelos e a jogou a mulher no chão, lesionando o joelho da vítima. Na sequência o marginal embarcou no veículo GM/Corsa Wind, que havia furtado naquele mesmo dia, e empreendeu fuga do local.
A sentença
Parte da decisão do juiz Evandro Volmar Rizzo, da Comarca de Sombrio, em 30 de julho de 2018:
“Diante do exposto, julgo parcialmente procedente a denúncia para condenar Diego das Neves Oliveira dos Santos, já qualificado, ao cumprimento da pena de 90 (noventa) anos, 5 (cinco) meses e 21 (vinte e um) dias de reclusão, em regime inicial fechado, com 158 (cento e cinquenta e oito) dias-multa, cada qual no valor mínimo legal, por infração ao art. 157, caput, do CP (fatos 1 , 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11 e 13 ) e art. 213, caput (fato 5) c/c art. 69 do CP; e absolver das imputações constantes nos fatos 12 e 14 da denúncia, com fundamento no art. 386, VII, do CPP.
No que tange ao disposto no § 2º do art. 387 do CPP, incabível a progressão para o regime mais brando ao acusado porque, ao que se infere da data de sua prisão e da reincidência, ainda não alcançou o quantum de 3/5 (três quintos) da pena imposta (art. 2º, § 2º, da Lei n. 8.072/90).
Não permito que o acusado recorra em liberdade, e o recomendo no presídio onde se encontra, porque persistem os motivos que ensejaram até agora a manutenção de sua prisão (art. 312 do CPP), conforme abordagem das fls. 66/68 dos autos n. 0002092-02.2017.8.24.0069, ainda íntegra, caso em que “não configura ilegalidade a remissão, na sentença, aos motivos do ato que implicara a prisão preventiva, dada a ausência de alteração do quadro fático-processual desde a data da decretação da referida medida” (STF, Habeas Corpus n. 101248/CE, Rel. Min. Luiz Fux)”.

Relacionados

Polícia

Ronda Policial

Ronda Policial

Polícia

Ronda Policial

Ronda Policial

Polícia

Dois são presos em estacionamento de Shopping

Ação ocorreu há poucos minutos

Polícia

Ronda Policial

Ronda Policial

Mapa de Editorias