Geral     11 de agosto de 2017 18:00
Turvo

“O Campo virou lugar para profissionais”, afirma secretário Adjunto de Agricultura do estado

Airton Spiers ministrou palestra na manhã desta sexta-feira na Festa do Colono de Turvo. Ele abordou o tema “Rentabilidade na cultura do arroz: A gestão faz a diferença


Um momento para trocar experiências e debater as novidades para o setor do agronegócio no estado. Esta foi a tônica do encontro de produtores rurais que aconteceu durante toda a manhã desta sexta-feira, 11, na programação da 23ª Festa do Colono de Turvo e 15ª Arrancada de Tratores.
O secretário adjunto de Agricultura de Santa Catarina, Airton Spiers, traçou um breve panorama mundial da agropecuária trazendo dados importantes como o crescimento da população mundial que atualmente é de 7,2 bilhões e deverá chegar a 9,4 bilhões até o ano 2050, fazendo subir em até 75 % o consumo de alimentos produzidos no campo. “A previsão é que o consumo de proteína animal dobre neste mesmo período” afirmou.
Spiers também abordou os desafios da agricultura catarinense que atualmente é basicamente formada por pequenos produtores e possui cerca de 197 mil estabelecimentos agropecuários ativos cadastrados, sendo 2 mil deles só em Turvo. 84 % dos produtores rurais de Santa Catarina são da agricultura familiar. “Um dos nossos principais desafios é fazer de pequenas propriedades grandes negócios. A intenção é transformar vantagens comparativas, que são aquelas em função do clima, solo, cultura, localização geográfica, em vantagens competitivas, que  dependem da ação do homem. O campo se modernizou e virou lugar para profissionais”, explicou.
O secretário também chamou a atenção para a evolução da exportação no agronegócio que foi responsável por 61 % das exportações do estado em 2016. “É importante salientar que 26% do PIB catarinense vem do setor agropecuário. Este é o peso da agropecuária na economia de Santa Catarina” comentou, reforçando  que atualmente o estado apesar de possuir apenas 1,12% do território nacional, é a 6ª maior economia do país. Somente no ano passado, SC registrou um PIB de 241 milhões.
O segredo está no cooperativismo 
Gente que coopera cresce. Este foi outro importante recado deixado pelo secretário durante a palestra. Em 2016, Santa Catarina registrou aumento de 15% no cenário cooperativista. “O volume de negócios através do sistema de cooperativismo aumento consideravelmente e este foi um dos fatores que influenciaram o crescimento da economia no estado” explicou.
Ainda durante a manhã desta sexta-feira, os produtores trocaram experiências sobre o clima e o tempo com o meteorologista e engenheiro agrônomo Márcio Sonego  que abordou o tema “Perspectivas Climáticas para a Safra 2017/2018.

Mapa de Editorias