Geral     21 de junho de 2018 08:20
Região

Polvilho de associação da Região entra na marca Compre de SC

A produção de polvilho vem ganhando espaço na região


Produtores da Associação das Indústrias Processadoras de Mandioca e Derivados (AIMSC), que reúne municípios do Extremo-Sul de Santa Catarina, comemoram a iniciativa do Governo do Estado para incentivar o consumo de produtos catarinenses. Na terça-feira, a associação organizou uma exposição no hall do Centro Administrativo do Governo, em Florianópolis, com itens fabricados a partir da farinha de mandioca e do polvilho. Além de divulgar as tradicionais rosquinhas, broas, tapiocas e biscoitos, os produtores afirmam que a campanha Compre de SC traz boas expectativas para as vendas.
Ao provar os produtos, o governador Eduardo Pinho Moreira reforça a capacidade empreendedora dos catarinenses e a força de trabalho empregada ao setor produtivo, com produtos de excelência nos mais diversos segmentos. “Nossa economia é bem vocacionada e nossos produtos são referência de qualidade, o que nos dá absoluta segurança na preferência pelo que é de Santa Catarina”, frisou o governador.

Qualidade
“O Estado está reconhecendo e acreditando na qualidade do que produzimos. É uma ideia maravilhosa”, garante o presidente da AIMSC, Gilvan Simão de Carvalho, de Sombrio. Foi em uma reunião na sua indústria de polvilho, na semana passada, que a ideia surgiu. Estavam no encontro produtores, técnicos da Cidasc, o prefeito Zênio Cardoso, deputado Manoel Mota e vereadores, entre eles Nego Gomes. “Ali na reunião eu tive a ideia de levar os produtos daqui para a campanha estadual, mas não falei nada na hora. No dia seguinte, entrei em contato com a assessoria do deputado Ronaldo Benedet e pedi apoio. Deu certo”, contou Nego, que acompanhou os produtores a Florianópolis na apresentação dos produtos.

Organização
A produção de polvilho vem ganhando espaço na região pela organização do setor, que está criando um APL (Arranjo Produtivo Local) e pela importância econômica.
Somente a Polvilhos Machado, de Gilvan Simão, processa, por ano, cerca de 5 mil toneladas de mandioca e ainda produz biscoitos. “A campanha vai ajudar na consolidação dos produtos no mercado interno”, acrescentou ele.
Conforme o técnico agrícola da Cidasc, Rômulo Bitencourt, que desenvolve trabalhos de controle sanitário junto ao setor produtivo no Extremo-Sul, o momento em que o governo lança a campanha de incentivo ao consumo coincide com significativos avanços em qualidade e modernização, conquistados ao longo dos últimos três anos.
“A hora é agora. Temos condições técnicas, incentivo e produtos de qualidade para conquistar o mercado catarinense”. Segundo Bitencourt, atualmente as vendas da associação giram em torno de 60% para outros estados, contra 40% dentro de Santa Catarina. “Queremos reverter esta estatística”, concluiu.

Relacionados

Geral

Contato Internet contrata vendedor externo em...

É preciso ter experiência na área de vendas e boa comunicação.

Geral

Amanhã é aniversário de Praia Grande

Município completará 60 anos de emancipação

Geral

Feira da Agricultura busca clientes e parceiros

Feira persiste ao longo dos anos

Mapa de Editorias