Solidariedade     23 de janeiro de 2018 12:00
Autor: Marivânia Farias
Sombrio

Projeto é Ponte para o amor e a fé


Imagine que você é uma ponte, ligando pessoas que podem ajudar a outras que precisam de ajuda. Unindo quem tem, não somente bens materiais, mas também força e fé, a quem não tem sequer esperança. Você seria então uma ponte de solidariedade e alegria.

É esta bonita visão que move o Projeto Ponte, da Igreja Amor e Graça de Sombrio. A ideia surgiu durante a campanha do agasalho de 2016, quando os membros da igreja se depararam com muita pobreza espalhada pelo município. “Começamos a anotar o nome de algumas destas pessoas, para tentar doar cesta básica”, conta um dos idealizadores do projeto, Nei Ferreira. Logo eles estavam com 26 famílias cadastradas, que juntas somavam cerca de 60 crianças. Tantos meninos e meninas precisando de alimento, cuidados e orientação, deu início a outro programa, o Toc Toc. Nos encontros realizados com os pequenos, são contadas histórias bíblicas, distribuídos lanches, dadas dicas de higiene pessoal e organização e feitas brincadeiras. Para a voluntária Andrea Coelho, são momentos de muito amor que fazem todas as dificuldades valerem a pena.

A Amor e Graça também mantém o Restaurante Solidário, que ao meio-dia serve refeição de graça a moradores de rua e trabalhadores de baixa renda, como catadores de material reciclável. O restaurante funciona na sede da igreja, no centro de Sombrio, onde antes do almoço acontece uma pregação religiosa e quem quiser pode tomar banho de chuveiro e ganhar roupas. “Pra que eles voltem a ter esperança”, diz Jussara Carine Cunha, membro da igreja. Ela conta que ouvindo as histórias dos mendigos, gente muitas vezes suja e faminta, aprende a amar sem julgar.

O restaurante distribui em média 40 pratos por dia, e recebe críticas de algumas pessoas que acreditam que devido a ele, a cidade está abrigando uma maior quantidade de moradores de rua, que permanecem mais tempo vagando pelas ruas. Jussara Carine garante que isso não acontece. Ela diz que os andarilhos não param, e como o nome já diz, gostam de andar e sempre seguem em frente. “Tivemos dois que graças a ajuda que receberam, voltaram pra casa, e um pediu dependente químico que pediu pra ser internado”, expõe.

A igreja está localizada na rua Padre João Reitz, em frente a Padaria Ferrari, e fica aberta todo dia pela manhã e até as três horas da tarde, sempre precisando de doações da comunidade.

Mapa de Editorias