Geral     13 de dezembro de 2017 12:00
Autor: Gislaine Fontoura
Araranguá

Samae fecha o ano com contas em dia e investimentos


O diretor geral do Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) de Araranguá, José Hilson Sasso, acompanhado de demais diretores e técnicos da instituição, apresentou para a imprensa regional na tarde desta segunda-feira, o relatório de ações da autarquia em 2017 e projeções para 2018. A prestação de contas ocorreu antes de um Café com a Imprensa e o primeiro a se manifestar foi Sasso, dando as boas-vindas a todos.

Em seguida a palavra foi dada ao procurador Jurídico da autarquia, Marco Antônio Alborghetti. De acordo com Marco, atualmente o Samae possui 613 ações, sendo que destas 40% são execuções fiscais do tempo que a autarquia servia ao Arroio do Silva, já a outra parte das execuções fiscais são do município. “Temos 13 ações contrárias ao Samae. A soma contrária (civil) atualmente está na casa de R$ 1,2 milhão, mas estamos trabalhando para reduzir este número em cerca de 38% com embargos, recálculos, ajuda de peritos, enfim trabalhando para que estas situações não venham causar grandes prejuízos a autarquia”, disse.

O procurador revelou ainda que está trabalhando na lei, que vai instituir a taxa de esgoto sanitário no município de Araranguá, referente a coleta, transporte e tratamento do esgoto sanitário executado pelo Samae. “Está em fase embrionária, onde estamos avaliando os critérios de cobrança. Está em processo de execução, mas já estamos preparando o projeto para 2018”, detalhou. O Samae também está acertando os precatórios pendentes. “Tivemos um vencimento de precatórios trabalhistas este ano de R$ 39.288.16 e para 2018 são aproximadamente R$ 98 mil. Já para 2019 um maior, de cerca de R$ 1,7 milhão”, ponderou.

 

Na Escola

Margarete Timboni Baran, diretora administrativa da instituição e responsável pelo Samae na Escola, falou sobre o projeto. “O Projeto Samae na escola incluiu visitações nas Estações de Tratamento de Água (ETA), teatro e ainda coral. O objetivo é informar os estudantes sobre a importância da água de qualidade, maneiras de economizá-la, como funcionam as ETAs, processos físicos e químicos utilizados para que água se torne potável, entre outros assuntos”, frisou. Segundo ela, o teatro foi apresentado em 37 escolas da rede pública estadual e municipal e da rede particular. “Mais de 5 mil crianças e adolescentes assistiram a peça teatral a ‘A água e o Homem’, ou seja, conseguimos levar a mensagem de conscientização a um número expressivo de estudantes”, disse.

 

Açude

O diretor de Planejamento do Samae, Lourival João, o Cabo Loro, comentou sobre a aquisição realizada este ano da área de terra (14.520,00m²) entorno do Açude Belinzoni. A desapropriação destina-se a necessidade de proteção mais efetiva do entorno do manancial do Açude Belinzoni. O imóvel foi declarado de Utilidade Pública pelo Decreto n° 8.202. Ele explicou que as pessoas têm muitas ideias e sugestões para o espaço. “Dentro da propriedade tem moradores, com isso fica difícil planejar alguma mudança, porém é um desejo do Samae fazer uma análise profunda do espaço e verificar até onde a população pode usufruir o local. Mas, para isso teria que adquirir toda a área. Hoje não tem como abrir para visitação, porém a direção do Samae vai sim trabalhar para adquirir o restante da área, objetivando principalmente a preservação do açude, que hoje é responsável por 60% do abastecimento da cidade”, afirmou.

 

ETEs

O engenheiro sanitarista Everton Casagrande, o Polaco, falou sobre as Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) da Urussanguinha (ETE I) e Parque Alvorada (ETE II) que foram lançadas oficialmente no mês de novembro deste ano. São 63 quilômetros de rede, que abrange 40% da população araranguaense, ou seja, cerca de 22 mil habitantes, e quando a ETE I tiver sua capacidade aumentada atenderá cerca de 30 mil pessoas. “A ETE I beneficiará os bairros Urussanguinha, Alto Feliz e parte do Centro e a ETE II atenderá os bairros Parque Alvorada, Vila São José e parte da Coloninha”. Nas duas estações (Urussanguinha e Parque Alvorada) os investimentos foram de cerca de R$ 17,5 milhões. Segundo Polaco, a adesão ao tratamento de esgoto ainda está pequena, contudo o Samae já está estudando uma forma de fazer as pessoas ligarem a rede. “Para que as estações funcionem correntemente é necessário que a população que já foi beneficiada com o esgoto faça a ligação, que é muito simples e o Samae dá toda orientação”, falou.

 

ETA

Mário Copetti, também engenheiro do Samae, discorreu sobre a obra da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Morro dos Conventos, que também beneficiará Manhoso, Paiquerê e Canjiquinha. Os investimentos na ETA I são de cerca de R$ 2 milhões, isso em toda a obra, desde a aquisição do terreno, instalação da ETA e agora a finalização. A ETA deve ser inaugurada no início de 2018. Mário falou também sobre a reforma dos reservatórios de água. O Samae de Araranguá conta com três reservatórios de água localizados no Morro Centenário, sendo dois de concreto – um de 500mᴣ e outro de 1500mᴣ – já o de aço vitrificado que foi adquirido ano passado também tem capacidade para 1500mᴣ (Um milhão e quinhentos mil litros de água). Os reservatórios de concreto, um da década de 70 e outro construído em 2001, nunca haviam passado por uma grande reforma. Os recursos investidos são de aproximadamente R$ 186 mil.

 

Contas

O contador Vanoir da Silva Canto informou que este ano o Samae conseguiu investir cerca de R$ 3 milhões na autarquia. “O Samae teve uma queda na arrecadação, porém com alguns cortes está conseguindo se manter e ainda fazer investimentos. Vamos fechar o ano com tudo em dia, pagando as contas e os funcionários”, citou. O contador ainda destacou que há uma inadimplência dos consumidores em torno de 20% por mês, sendo que o maior devedor do Samae hoje é o Governo do Estado de Santa Catarina.

José Hilson Sasso voltou a tomar a palavra e apresentou alguns números do ano de 2017, além de projetar algumas ações para o próximo ano. Sasso destacou entre as aquisições de 2017, uma retroescavadeira nova que custou cerca de R$ 195 mil. Segundo ele, a máquina foi adquirida com recursos próprios e atualmente está cedida a Prefeitura de Araranguá para ajudar nos trabalhos desenvolvidos na cidade. Teve ainda a aquisição de uma motocicleta para o setor de leitura da autarquia; um aparelho topográfico, aquisição de 1.000 hidrômetros; aquisição de equipamento medidor de vazão ultrassônico para aplicação nas ETEs; entre outros materiais.

 

Planos

Sasso revelou que para 2018 a autarquia pretende realizar a inauguração da Estação de Tratamento de Água do Morro dos Conventos, buscar recursos para a ampliação das Estações de Tratamento de Esgoto, adquirir novos maquinários (BobCat e um caminhão), pagar os precatórios, realizar o cercamento do Açude Belinzoni e ainda fazer o desassoreamento de todo o manancial do Açude Mané Angélica. “Foi um ano de trabalho árduo, onde mesmo diante das dificuldades, conseguimos fazer investimentos e realizar algumas aquisições. Nosso objetivo para o próximo ano é seguir um planejamento voltado para o bem da comunidade, como a ampliação da rede de esgoto, onde vamos buscar recursos para que outros bairros sejam beneficiados. Todo nosso trabalho será voltado para o desenvolvimento da cidade”, asseverou.

O encontro foi encerrado com um café entre diretores, corpo técnico do Samae e imprensa da região na sede recreativa da autarquia.

 

 

Relacionados

Mapa de Editorias