Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Coelho

Rolando Christian Sant' Helena Coelho é bacharel em Comunicação Social, com especialização em Jornalismo. Também é bacharel em Psicologia e bacharel em Ciências Políticas. Tem MBA em Jornalismo Digital e em Administração e Marketing. Em 1990 fundou o Jornal Correio do Sul, assim como foi um dos fundadores da Rádio 93 FM em 2010. Atua também como produtor cultural e escritor.

17/08/2018 00:00

Rolando Christian Coelho, 17/08/2018

PSD não registrou candidatura do ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, que agora tem até hoje para decidir se concorrerá ou não a deputado.


Scaini tem até hoje à tarde para registrar candidatura //

Meio político regional foi pego de surpresa, ontem, com a notícia de que o PSD Estadual não registrou a candidatura do ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, Evandro Scaini (PSD) a deputado estadual. O nome de Evandro foi aprovado em convenção e o lançamento de sua pré-candidatura, em Arroio, chegou a ser prestigiada pelo candidato a governador de seu partido, Gelson Merisio, que, em tese, é quem daria a última palavra quanto a quem seria, e quem não seria, candidato ao legislativo catarinense.
De forma escancarada, o meio político atribuiu ao ex-deputado estadual Júlio Garcia (PSD) o fato do nome de Evandro ter sido glosado, já que a candidatura do ex-prefeito prejudicaria a sua, na busca por uma vaga na Assembleia Legislativa. Evandro, por sua vez, não apontou culpados, pelo menos por ora. Ontem ele ressaltou que entende que “o jogo político é assim mesmo”, mas enfatizou que permanece candidato.
A lei eleitoral permite que um candidato aprovado em convenção registre sua candidatura, de forma autônoma, até 48 horas depois de seu partido ter promovido o registro dos demais candidatos na Justiça Eleitoral. Por conta disto, Evandro tem até as 17h30min de hoje para levar seu projeto adiante. Resta saber se ele irá querer continuar empunhando um projeto desta envergadura, diante de tamanha ingratidão.

Notas

Ex-deputado federal Leogedar Tiscoski (PP) começou a percorrer a região já na condição de candidato à Câmara Federal. Ontem esteve em Sombrio para comunicar sua decisão à familiares. Em princípio, Leodegar quer nortear sua campanha com propostas ligadas à saúde, educação e a segurança pública. Na área da segurança, referenciou o deputado federal Jorge Boeira (PP), ressaltando que pretende dar sequência ao projeto de descentralização e consolidação das unidades de ensino federal pelo Estado. Em princípio, o Progressista do Extremo Sul almeja fazer cerca de 40 mil para Leodegar, no conjunto dos 15 municípios da Amesc.

Entrada de João Rodrigues (PSD) e de Leodegar Tiscoski (PP) no pleito eleitoral deste ano, disputando à Câmara Federal, praticamente sepulta as chances de eleição de Ricardo Guidi (PSD) ao legislativo nacional. Rodrigues e Tiscoski devem tirar, tranquilamente, cerca de 30 mil votos que já estavam carimbados para Guidi. Solução para tentar reverter o prejuízo é buscar algo extremamente inovador diante do pleito deste ano, tentando cooptar, principalmente, o voto dos indecisos. A grande verdade é que Ricardo Guidi teve muito azar. João Rodrigues estava fora do jogo, por força judicial, até o último dia 14. Já Leodegar nem era cotados para ser candidato.

Deputado federal Jorge Boeira (PP) tem se esforçado para ressaltar a seus correligionários que abriu mão de ser candidato à reeleição por motivos meramente profissionais. De acordo com ele, suas atividades empresarias o têm absorvido em demasia, tornando o exercício parlamentar incompatível com seus negócios. A aposta em um mandato de senador, ou de vice-governador, seria uma espécie de divisor de águas em seu futuro pessoal. Se desse certo, os negócios seriam transferidos aos herdeiros. Como não deu, e pelo fato do mandato de deputado federal ter se transformado em algo corriqueiro, Boeira preferiu voltar à iniciativa privada.

Santa Catarina terá candidatos ao governo para todos os gostos. A esquerda vem com Ângelo Castro (PCO), Leonel Camasão (PSOL), Ingrid Assis (PSTU) e Décio Lima (PT). O centro tem as candidaturas de Gelson Merisio (PSD), Mauro Mariani (MDB) e Rogério Portanova (Rede). Já a direita traz aos eleitores as candidaturas de Jossé Pereira (Patriotas) e Carlos Moisés da Silva, o Comandante Moisés (PSL). Quem quiser colocar Portanova na esquerda, Merisio na direita e Décio Lima no centro, fique a vontade. Além dos nove candidatos ao governo, outros 14 disputam o Senado, além de 241 que disputam à Câmara Federal, e outros 460 que disputam a Assembleia Legislativa.

Charge


16/08/2018 00:26

Rolando Christian Coelho, 16/08/2018

Em havendo segundo turno em Santa Catarina, partido terá muita dificuldade em conquistar aliados para o projeto de Mauro Mariani.


MDB terá que ir para o tudo ou nada no primeiro turno / /

Em que pese o grande mérito de ter atraído o PSDB para sua coligação, o MDB catarinense acabou armando uma espécie de bomba relógio contra si próprio com vistas ao pleito de Outubro deste ano. É que, por conta da presença dos tucanos na chapa de Mauro Mariani, o candidato emedebista ao Governo do Estado ficou quase que na obrigação de ir para o tudo ou nada, já no primeiro turno do embate eleitoral. Isto porque, se houver um segundo turno, será inevitável a declaração de apoio do PT, de Décio Lima, e de outros candidatos de esquerda, à candidatura de Gelson Merisio (PSD), que é a que provavelmente rivalizará na segunda etapa da eleição com Mariani.
PSD, PP e seus aliados, apostam que chegarão fácil aos 35% dos votos dos eleitores catarinense. Do mesmo modo, apostam que o Décio Lima ultrapasse a casa dos 10%. Estes percentuais, somados às outras seis candidaturas nanicas, poderia chegar, sem estresse, aos 48, ou 49% dos votos válidos. É claro que Merisio quer, e precisa de mais: quer ganhar no primeiro turno, ou, no mínimo, chegar aos 40% de forma autônoma, passando para a segunda etapa da eleição.
Todavia, se a eleição for para o segundo turno, o MDB terá que se virar nos trinta, porque dificilmente conseguirá cooptar aliados. Por conta disto, o partido não irá poupar cartuchos até o 7 de outubro.

Notas

Prefeitura Municipal de Sombrio lançou edital de licitação para a concessão da exploração dos serviços de estacionamento rotativo na área central da cidade. As empresas interessadas em administrar o serviço deverão entregar suas propostas até do dia 19 de setembro. A abertura do envelopes acontece no dia seguinte. Basicamente, a prefeitura cederá a uma empresa o direito de explorar a cobrança das áreas de estacionamento do centro de Sombrio. Em contrapartida, a empresa terá que fazer a manutenção da sinalização vertical e horizontal da área explorada, e também repassar parte de seus lucros ao executivo.

Campanha de Ricardo Guidi (PSD) à federal sofrerá bastantes baixas no Sul do Estado, por conta do retorno do deputado João Rodrigues ao palco das eleições. Ao reverter sua situação de inelegibilidade no Superior Tribunal de Justiça, Rodrigues voltou a atrair para si dezenas de cabos eleitorais sulistas que já estavam irmanados ao projeto de Ricardo. Por conta de sua atuação no comando da Secretaria de Estado da Agricultura, à época da gestão de Raimundo Colombo (PSD), João Rodrigues tem muitos seguidos no meio rural, que, por falta de opção dentro do PSD, haviam se irmanado a Guidi. Vários prefeitos e vereadores do PSD, que tem dívidas políticas com Rodrigues, e que estavam fechados com Ricardo Guidi, agora irão reavaliar posicionamento.

Deputado José Milton Scheffer (PP) comemorou a entrada do ex-deputado federal Leodegar Tiscoski (PP) no certame eleitoral deste ano. Para Zé Milton, o histórico de Leodegar no partido fará com que a velha guarda progressista entre com tudo em campo, no pleito deste ano. “A dobradinha Leodegar federal, Zé Milton estadual, soa muito bem na base do partido”, comenta empolgado o parlamentar. A título de curiosidade, Zé Milton e Leodegar são primos em terceiro grau. O casal composto por Manoel Francisco Scheffer e Ana Maria Raupp é bisavô de ambos.

Família Mota, pela primeira vez, está dividida em uma campanha eleitoral. Enquanto o suplente de deputado estadual Manoel Mota (MDB) trabalhará pela eleição de Volnei Weber (MDB) ao parlamento catarinense, seu filho, Marco Antônio Mota (MDB), irá trabalhar pela candidatura de Walter Gallina ao mesmo cargo. Gallina é um dos caciques do MDB catarinense. Recentemente se notabilizou frente ao comando da Casan. Já Weber é ex-prefeito de São Ludgero e disputará pela primeira vez a Assembleia Legislativa. Aqui no Extremo Sul, no entanto, não haverá confronto entre Mota pai, e Mota filho. Marco Mota ajudará na campanha de Gallina em outras regiões do Estado.

Charge


15/08/2018 00:02

Rolando Christian Coelho, 15/08/2018

Registros de candidaturas precisam ser oficializadas até esta quarta-feira, com campanha eleitoral podendo começar para valer amanhã.


Campanha pode começar de forma oficial amanhã / /

Depois de meses a fio de articulações, puxadas de tapete, empurrões aqui e acolá, traições e choradeiras, finalmente está tudo pronto para o início da campanha eleitoral de 2018. Hoje é o último dia para que os partidos e coligações apresentem seus candidatos à Justiça Eleitoral. Feito isto, a partir de amanhã já passa a ser permitida a realização de propaganda eleitoral, o que inclui comícios, distribuição de material gráfico, propaganda na Internet, e até mesmo as famigeradas carreatas.
Tão logo se tenha definidas as candidaturas, a Justiça Eleitoral já começa a trabalhar no chamado plano de mídia, que objetiva saber quais partidos e coligações terão quais espaços nos horários eleitorais. Isto terá que estar definido até o dia 24 de agosto, pois a propaganda eleitoral começa no dia 31, indo até 4 de outubro no primeiro turno.
Oficializados os candidatos, a Justiça Eleitoral tem até o próximo 17 de setembro para julgar todos os pedidos de registro de candidaturas. Se não houver impugnações até esta dada, elas não poderão ocorrer mais.
Já a partir do dia 22 de setembro, nenhum candidato poderá ser preso, salvo em flagrante delito. O mesmo direito se estende aos eleitores, após o dia 2 de outubro. Direto este suspenso, por óbvio, depois da eleição do dia 7.
No dia 4 de outubro se encerra a possibilidade de reuniões públicas e comícios, mas até o dia 6 ainda serão permitidas caminhadas, carreatas, carros de som e distribuição de material gráfico.
No dia 7 de outubro acontece a eleição em primeiro turno. Se houver segundo turno, ele acontece no dia 28.

Notas

Assessoria do ex-prefeito de São Ludgero, Volnei Weber (MDB), que disputa uma vaga na Assembleia Legislativa neste ano, diz que boataria, dando conta de que ele teria renunciado de forma intempestiva ao executivo de seu município, é totalmente infundada. De acordo com a assessoria, Volnei renunciou no dia 6 de abril, em conformidade com a legislação, estando totalmente apto a disputa eleitoral deste ano. Grupo de Volnei ressalta ainda que o alarde é meramente uma fakenews, comum, aliás, em épocas de eleição.

Ex-deputado federal Leodegar Tiscoski (PP) terá seu nome registrado hoje no Tribunal Regional Eleitoral como candidato à Câmara Federal no lugar do deputado federal Jorge Boeira (PP). Leodegar utilizará o número 1112 em sua campanha, o mesmo já usado nas três vezes em que ele disputou este cargo. Em princípio, o Progressistas de todo o Sul do Estado fechou questão com a candidatura de Leodegar, que terá cinco candidatos a estadual e mais de 40 diretórios municipais trabalhando para ele no Sul do Estado. A expectativa é a de que ele seja o segundo deputado federal mais votado de seu partido, ficando atrás apenas de Ângela Amin.

Sargento da Polícia Militar de Sombrio, Mariozan Pereira, irá disputar uma cadeira na Câmara Federal pelo Patriota, o partido do presidenciável Cabo Daciolo. Ele já havia sido convidado há algum tempo para o embate eleitoral deste ano, mas, em princípio, não tinha esta intensão. Ao longo da semana a cúpula estadual do Patriota reforçou o convite, e Mariozan acabou aceitando. Pela primeira vez, Sombrio terá dois candidatos a deputado federal. Além de Mariozan, o ex-deputado federal Leodegar da Cunha Tiscoski (PP) também concorrerá à Câmara Federal.

Acarte, que é a Associação Catarinense das Emissoras de Rádio e Televisão, irá realizar, no Hotel Majestic, em Florianópolis, debate com os candidatos ao Governo do Estado no próximo dia 24, das 9h às 11h30min. Em nossa região ele terá transmissão da Rádio 93FM. A 93 também transmitirá um segundo debate, nos mesmos moldes, no dia 25 de setembro, assim como um terceiro, se houver segundo turno, no dia 23 de outubro. Em princípio, seis, dos nove candidatos ao governo participarão do debate. Os outros três pertencem a partidos que não têm, no mínimo, cinco deputados na Câmara Federal, e, portanto, não precisam ser convidados.

Charge


14/08/2018 00:50

Rolando Christian Coelho, 14/08/2018

Ex-deputado federal sulista diz que suas chances de concorrer à Câmara Federal no pleito eleitoral deste ano são de 80%.


Leodegar deverá concorrer a federal no lugar de Boeira / /

Ex-deputado federal Leodegar Tiscoski deverá comunicar hoje ao Progressistas que aceita o convite para concorrer à Câmara Federal, substituindo Jorge Boeira no pleito deste ano. No último dia 28, Boeira comunicou ao Progressistas que não seria candidato à reeleição, apoiando, inicialmente, a intensão do ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo (PP), de ocupar sua vaga. Márcio declinou da candidatura e Boeira, então, manifestou apoio a presidente do Progressistas de Nova Veneza, Ângela Ghislandi, que, ontem, também agradeceu a lembrança de seu nome mas se disse fora do certame.
Paralelo aos convites feitos a Márcio e à Ângela, a cúpula do partido vinha tentando convencer Leodegar a assumir a candidatura. “Posso dizer que estou praticamente convencido que serei candidato. Sou 80% candidato a federal”, disse o ex-deputado ontem à noite.
Ainda que de afogadilho, a candidatura de Leodegar tem reais chances de vitória por conta do palco de ações montado. O Progressistas comanda grandes prefeituras no Sul do Estado, como a de Tubarão e Araranguá. Terá, também, cinco candidatos a deputado estadual este ano no Sul catarinense, que servirão de base para a campanha a federal. Há de se ressaltar, ainda, que Leodegar tem história dentro do partido, o que o diferencia, em muitos, de todos os outros nomes que vinham sendo especulados.


Notas

Oposição começou a trabalhar cedo nestas eleições. Ex-prefeito de São Ludgero, Volnei Weber (MDB), que está concorrendo ao cargo de deputado estadual no pleito deste ano, deverá ser denunciado por, supostamente, ter renunciado ao seu mandato de chefe do executivo em data posterior a permitida por lei. Em princípio, Volnei renunciou no dia 6 de abril, às 22h30min, seis meses antes da eleição, em conformidade com a legislação. Não falta quem diga em São Ludgero, no entanto, que o ex-prefeito assinou a renúncia no dia 9 de abril, o que o deixaria inelegível. Vale lembrar que Volnei é o candidato do suplente de deputado estadual Manoel Mota (MDB) à Assembleia Legislativa.

Semana iniciou com boataria relacionada à possível desistência de Evandro Scaini (PSD), quanto a sua candidatura à Assembleia Legislativa. Em princípio, grupo do ex-deputado estadual Júlio Garcia (PSD) estaria pressionando cúpula do PSD catarinense para que convencesse Evandro a não levar seu projeto adiante. Evandro disse ver com estranheza os comentários neste sentido, já que, de acordo com ele, Gelson Merisio, candidato do PSD ao Governo do Estado, tem o estimulado na campanha. “Sou candidato de forma incondicional. Estou preparado para a campanha e convicto que vou me eleger. É claro que isto deve incomodar quem se sente prejudicado”, sentenciou o ex-prefeito de Balneário Arroio do Silva, sem citar nomes.

Fato inédito será protagonizado no início da tarde de hoje, em São João do Sul. O prefeito Moacir Teixeira, do MDB, irá transmitir seu cargo, por duas semanas, ao vice-prefeito Edson Pereira Trajano, o Edinho, do Progressistas. Até o início de 2016 as duas agremiações partidárias eram inimigas ferrenhas em nível local, o que ainda é uma realidade na grande maioria dos municípios da região. Uma ampla composição para a disputa do pleito daquele ano acabou unindo gregos e troianos, e colocando 90% dos partidos do município no mesmo barco. Recentemente, cumprindo acordo, Moacir deixou o PSD e se filiou ao MDB, mas a paz com o Progressistas continua.

Eminente candidatura de Leodegar Tiscoski a deputado federal propiciará um fato político inédito em Sombrio. Pela primeira vez em sua história, o município terá um candidato a estadual, personificado na figura do já deputado José Milton Scheffer, e também um federal, na mesma eleição, e pelo mesmo partido. A dobradinha, que será natural, deverá ter ressonância na base progressista de todos os municípios do Extremo Sul. Vale lembrar que uma campanha bem feita, que valorize as bases da sigla, servirá de alicerce para o partido no pleito de 2020, quando acontece a disputa pelas prefeituras municipais. Se for inteligente, e fechar questão com Leodegar e Zé Milton, o Progressistas tem tudo para sair do pleito de 2018 extremamente mais fortalecido do que está hoje.

Charge

Carregar mais

Mapa de Editorias